Notícias | Dia a dia
Evert é contra comparar tenistas de eras diferentes
20/06/2018 às 19h45

Evert conquistou 18 títulos de Slam, assim como Martina Navratilova. Serena tem 23.

Foto: Arquivo

Aspen (EUA) - É frequente entre os fãs de tênis e especialistas no esporte comparar jogadores de diferentes épocas e ter seus próprios critérios para determinar quem seria os melhores de todos os tempos. Mas nem todos concordam esse tipo de comparação. A ex-número 1 do mundo e vencedora de 18 títulos de Grand Slam Chris Evert pensa da forma e justifica sua opinião.

"É como comparar maçãs com laranjas", disse Evert em entrevista para a emissora de tv CBS. "A única coisa que podemos dizer é que Serena é a melhor tenista que já vimos, mas na minha época e da Martina [Navratilova], e na era de Steffi [Graf], isso também era verdade. O nível fica cada vez mais alto".

"Claro que Serena é a melhor de todas", comenta, ainda com base na evolução do esporte. "Podem até ser feitas comparações, mas isso é ridículo. Fomos as melhores de nossas épocas. Serena é a melhor em sua época", explica a norte-americana a respeito de Serena, que é recordista de títulos de Grand Slam na Era Aberta, com 23 conquistas.

Perguntada se ela acredita que Serena poderá voltar a dominar o circuito como já fez anteriormente, ou se outra jogadora pode estabelecer tal liderança, Evert entende que o quadro mudou nos últimos anos. "O circuito feminino é diferente daquele de dois ou três anos atrás, quando Serena estava dominando. São pelo menos 12 mulheres podem ganhar um Grand Slam".

"Uma vez a cada 20 ou 30 anos aparece alguém para dominar, como Serena fez nos últimos 20 anos", explicou a ex-número 1 do mundo. "Como eu disse, umas 12 mulheres podem vencer um Grand Slam. Para mim, é um pouco decepcionante que ninguém dê um passo em frente. Alguém ganha um e depois elas somem por seis meses. Nós não vimos ninguém com a mesma paixão e a vontade de vencer que a Serena tem".

A ex-líder do ranking também traçou o prognóstico sobre a participação de Serena em Wimbledon, que começa em menos de duas semanas. "Nós ainda não vimos o melhor de Serena. Ela está com 50 ou 60%, e a gente imagina quanto tempo levará para ela retomar seu melhor nível. Podemos vê-la exibir 80 ou 90% do jogo dela? Será que ela é capaz de fazer isso em Wimbledon, em seu melhor piso, e que melhor acentua todas as suas armas? Essa é a pergunta".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis