Notícias | Dia a dia
'Eu não era o que Djokovic precisava', diz Agassi
12/06/2018 às 13h32
Publicidade
Publicidade

Nova York (EUA) - Iniciada antes de Roland Garros, na temporada passada, a parceria do sérvio Novak Djokovic com Andre Agassi não chegou a durar um ano sequer e acabou às vésperas da temporada de saibro deste ano. O norte-americano ex-número 1 do mundo explicou que algumas divergências acabaram minando o trabalho entre os dois.

“Não aconteceu nada em particular. O objetivo era ajudá-lo em relação ao saque. Adoro tênis e queria que ele voltasse o mais depressa possível porque o tênis precisa dele, mas teve um problema no cotovelo e foi difícil de melhorar e ajudá-lo com a circunstância física”, explicou, em declarações recolhidas pelo site Tennis World.

“Estava tudo indo muito devagar. Ele tem uma forma de ver o tênis e eu tenho outra e vivíamos bem com isso. Quando vi que não o estava conseguindo ajudar, não havia forma de continuar. Eu não era o que o Djokovic precisava, mas continuamos a nos respeitar”, complementou o norte-americano.

Com Agassi no time, o sérvio venceu seu último título no circuito, o ATP 250 de Eastbourne, no ano passado, em quadras de grama. Djokovic chegou a contratar o tcheco Radek Stepanek no começo do ano, mas esse trabalho durou apenas quatro meses e acabou também antes da temporada de saibro de 2018.

Depois de toda essa revolução, o tenista de Belgrado retomou a parceria com Marjan Vajda. Os dois trabalharam juntos por 11 anos, se separaram em 2017 e agora voltaram a trabalhar juntos antes do Masters 1000 de Monte Carlo e seguirão juntos no restante da temporada.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis