Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Experiência em finais ajudou Halep a buscar virada
09/06/2018 às 16h25

Halep diz que o sonho vem desde os 14 anos

Foto: WTA

Paris (França) - O histórico negativo de Simona Halep em finais de Grand Slam até se manifestou neste sábado, quando a romena precisou virar o jogo contra Sloane Stephens e conquistar Roland Garros. Entretanto, a experiência da virada sofrida diante de Jelena Ostapenko há um ano ajudou a número 1 do mundo a continuar acreditando em suas chances de vencer seu mais importante troféu.

"Eu disse: 'A vitória não vai acontecer de novo, mas tudo bem'. Tenho apenas que jogar", disse Halep após a vitória por 3/6, 6/4 e 6/1 sobre Stephens. Além de ter perdido o set inicial, a romena começou a parcial seguinte com desvantagem de 2/0.

"E então, quando comecei a ganhar games, eu lembrei do que aconteceu comigo no ano passado. Era a mesma coisa, eu estava com um set e uma quebra e perdi o jogo", lembrou a romena, que disputou a quarta final de Grand Slam e a terceira em Paris. "Havia uma chance de voltar para o jogo e vencer. Acreditei nisso e meu jogo foi mais tranquilo. Eu pude fazer mais coisas na quadra e foi por isso que eu consegui vencer".

A vitória deste sábado foi a sexta de Halep em oito duelos contra Stephens. O conhecimento sobre a adversária ajudou a romena manter o foco na partida. "Eu joguei muitas vezes contra ela. Sabia que ela é uma adversária muito difícil, e estava preparada para uma partida de três horas. Eu sabia que disputaríamos muito pontos longos e que eu não poderia desistir, mesmo que ela estivesse liderando. Acho que é a coisa mais importante que eu fiquei focada, acreditei, e nunca desisti".

O sonho de conquistar um Grand Slam era alimentado pela romena desde que ela decidiu se tornar uma atleta profissional. "Quando eu tinha 14 anos, decidi ser um tenista profissional e me dedicar a este esporte. Desde então, eu estava sonhando com esse momento. Eu estava sonhando em ganhar um Grand Slam", disse a jogadora de 26 anos. "[O troféu] é pesado e é lindo. Sempre quando eu via as fotos com ele, eu sonhava em tê-lo e tocá-lo. Agora é um momento especial e estou muito feliz que seja 'meu'".

A conquista em Paris acontece dez anos depois de Halep ter sido campeã juvenil em Paris. Ela é a sexta jogadora a vencer o torneio como juvenil e como profissional. "Quando eu ganhei o juvenil, eu disse que se eu ganhasse um Grand Slam no tênis profissional, eu queria que fosse o mesmo. É especial, e eu mantenho isso para sempre no meu coração, com certeza. É minha cidade favorita, na verdade. É uma cidade romântica".

Halep também conta que sentia menos pressão pelo título que na final do ano passado, quando uma vitória também valeria a liderança do ranking para ela, posição que ela só conseguiria alcançar no mês de outubro, em Pequim. "O fato de eu poder ter chegado ao número 1 no ano passado me deu confiança e me deu um pouco de alívio, porque eu já tinha conquistado algo grande, algo enorme, e tinha apenas em mente ganhar um Grand Slam depois disso".

Comentários