Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Italiano elimina Djokovic e quebra jejum de 40 anos
05/06/2018 às 14h20

Cecchinato colocou a Itália de volta numa semi de RG

Foto: Divulgação

Paris (França) - Pela primeira vez em 40 anos um italiano irá disputar uma semifinal de Roland Garros. Coube ao pouco conhecido Marco Cecchinato encerrar o jejum e com uma vitória de gala nas quartas de final para cima do sérvio Novak Djokovic, ex-número 1 do mundo e campeão no saibro parisiense em 2016, anotando parciais de 6/3, 7/6 (7-4), 1/6 e 7/6 (13-11), após 3h26 de confronto.

Jogador de ranking mais baixo a chegar na penúltima rodada do Grand Slam francês desde o ucraniano Andrei Medverev em 1999, que então era o 100º do mundo quando fez semi, o atual 72º na ATP terá como próximo adversário o austríaco Dominic Thiem, contra quem jogou duas vezes e cada um conquistou uma vitória.

O último italiano que foi tão longe no saibro parisiense foi Corrado Barazzutti em 1978. Cecchinato também é o semifinalista com ranking mais baixo em um dos quatro principais torneios do circuito desde 2008, quando o então 75 do mundo Marat Safin duelou com o 94º do ranking Rainer Schuettler por um lugar na decisão de Wimbledon.

Cecchinato vive seu melhor momento na carreira, conseguindo agora apenas pela segunda vez uma sequência de cinco vitórias no circuito em nível ATP, algo que só havia feito algumas semanas atrás quando venceu seis jogos seguidos entre a conquista do título do ATP 250 de Budapeste e a eliminação na segunda rodada no ATP 250 de Munique.

Djokovic começou a partida de forma estranha e ainda no quinto game pediu atendimento no ombro direito. Continuou irritado com o juiz e com seus erros, enquanto Cecchinato mostrava grande capacidade ofensiva. Ao final do set, Djokovic pediu atendimento mais amplo e o fisioterapeuta tentou soltar musculatura do pescoço.

A situação piorou para o sérvio ao perder também o serviço de abertura do segundo set, mas enfim conseguiu reagir e empatar por 2/2. Escapou de dois break-points num sétimo game de alto nível e ficou muito frustrado por não aproveitar os set-points antes do tiebreak, ainda que o italiano tenha tido grande mérito. Mesmo tendo 4-3 e saque, Djokovic vacilou com curtinha imprópria e Cecchinato embalou, faturando o segundo set com mescla de golpes notáveis.

O italiano, no entanto, perdeu inesperadamente a intensidade, principalmente com o saque a favor, e jogou bem abaixo no terceiro set e por quase todo o quarto, em que logo de cara levou uma segunda advertência (por instrução a primeira e por sair da quadra a outra). Djokovic, que pediu desta vez auxílio para a panturrilha direita, teve 5/3 e 30-0 para fechar o quarto set, mas cometeu erros e ficou passivo. O italiano se animou. Vieram então pontos muito tensos, público agitado e novo tiebreak.

E foi um tiebreak épico. Os dois trocaram vantagens até o italiano ter 5-4 e saque. O empate foi um ponto épico e o primeiro match-point que o sérvio salvou com voleio milagroso. Cecchinato ainda evitou corajosamente dois set-points e levou sorte no terceiro. Por fim, Djokovic não aguentou a pressão, cometeu erros e viu o italiano fechar com devolução precisa.

Comentários