Notícias | Dia a dia
Marcondes testa positivo no antidoping e é suspenso
01/06/2018 às 13h57

Marcondes aceitou suspensão preventiva pela ITF. Sentença ainda não foi divulgada.

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - A Federação Internacional de Tênis (ITF) anunciou nesta sexta-feira que o paulista Igor Marcondes aceitou uma suspensão preventiva do circuito. Marcondes testou positivo no antidoping para a substância hidroclorotiazida, a mesma que já havia sido encontrada em exame de Thomaz Bellucci no ano passado.

O exame de urina foi realizado no dia 8 de março durante um future português em Loulé. A amostra foi levada para o laboratório em Montréal, no Canadá, onde foi apontada a presença da substância proibida que integra a categoria S5 da lista da Agência Mundial Antidoping (WADA), por ser um diurético e agente mascarante.

O processo foi iniciado pela ITF no dia 8 de maio, quando Marcondes ainda disputava um future em Brasília, onde foi eliminado ainda na primeira rodada. O  canhoto paulista de 20 anos foi notificado no dia 21 de maio, data a partir da qual, aceitou de forma voluntária uma suspensão provisória. O procedimento é diferente do adotado por Bellucci, que recorreu da decisão, apresentou a defesa e recebeu uma punição de cinco meses.

Ainda não foi definido o tempo que Marcondes ficará afastado das quadras. Mas o tempo que ele já cumprir a partir do início da suspensão provisória será descontado da sentença. O jovem paulista aparece no 772º lugar do ranking e tem como melhor marca da carreira o 704º posto, alcançado em junho. Marcondes tem seis títulos profissionais de future em duplas na carreira. Já em simples, seus melhores resultados foram três semifinais, uma delas este ano, em São Paulo.

Por meio de sua assessoria, Marcondes negou a intenção de utilizar a substância proibida e acredita que tenha sido um caso de contaminação do suplemento alimentar que consome. "Certamente foi uma contaminação cruzada da farmácia manipuladora e no momento já enviamos minha defesa em conjunto com meu advogado para tão logo resolver esse caso para que eu possa voltar a jogar o quanto antes".

"Estou muito triste com o que está acontecendo, chocado. Esclareço que nunca utilizei substâncias proibidas ou que pudessem aumentar minha performance. Sempre atuo de forma cuidadosa, seja com minha alimentação, hidratação ou tratamentos médicos, conferindo e validando toda e qualquer substância com os profissionais que me cercam. Em nenhum momento fui imprudente ou negligente ou usei de imperícia neste caso ou durante minha carreira", acrescentou o jovem jogador paulista.

"Recebi com surpresa no último dia 21 de maio o comunicado da ITF que a substância proibida tinha entrado em meu corpo durante torneio em Portugal, torneio em que fui derrotado na primeira rodada tanto em simples quanto em duplas, aliás não ganhei nenhum jogo nos três torneios que disputei no país", lembrou. "Tão logo recebi a notificação da ITF parei de tomar o suplemento que havia adquirido pela farmácia manipuladora, com prescrição médica, e me dispus a colaborar com as investigações da ITF e voluntariamente a parar de jogar até que as mesmas sejam concluídas".

O advogado do tenista, Bruno Vasconcellos falou sobre a linha de defesa a ser apresentada. "A substância encontrada é um diurético que não gera ganho de performance e é largamente utilizada em remédios de manipulação do território nacional, em especial para combate de pressão alta. O atleta apresentou defesa no ultimo dia 29 de maio negando o uso de substância proibida. A defesa se baseia substancialmente no fato de que o exame da ITF encontrou apenas 20 nano partículas de hidroclorotiazida, quantidade esta indicativa de contaminação cruzada por ser demasiada baixa".

"No dia 29, Igor Marcondes enviou voluntariamente as cápsulas para analise em laboratório indicado pela ITF. Igor Marcondes cessou, também voluntariamente, o uso do complemento alimentar, como,ainda voluntariamente, suspendeu seus jogos nos torneios da ITF até decisão final, que deverá sair de forma bastante rápida. Tão logo o procedimento admisntrativo seja finalizado, Igor Marcondes trará as informações conclusivas", acrescentou o representante do atleta.

Atualmente outros dois brasileiros cumprem suspensões por doping. Americo Lanzoni Netto e Yuri Schwanke de Andrade estão afastados desde junho de 2016 e só poderão às quadras em março de 2020. Os dois jogadores foram examinados durante challenger na capital paulista há dois anos e testaram positivo por uso de substâncias anabolizantes.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis