Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Djokovic reage a tempo e pega Verdasco nas oitavas
01/06/2018 às 11h43

Djokovic precisou de força mental para vencer

Foto: Site oficial

Paris (França) - O sérvio Novak Djokovic passou por mais um duro teste em busca de seu melhor tênis. Primeiro, sobreviveu à frustração de deixar escapar larga liderança, depois viu o espanhol Roberto Bautista sacar para fechar o terceiro set e marcar virada. Por fim, conseguiu controlar a cabeça, reagiu a tempo e ganhou sua terceira partida em Roland Garros com o placar de 6/4, 6/7 (6-8), 7/6 (7-4) e 6/2.

Seu adversário nas oitavas de final será outro espanhol, o canhoto e experiente Fernando Verdasco, de 34 anos, que teve pouco trabalho para eliminar o número 4 do ranking Grigor Dimitrov, marcando 7/6 (7-4), 6/2 e 6/4. O sérvio tem 10 a 4 no placar geral, tendo vencido Verdasco cinco vezes seguidas desde 2010.

Ao atingir a 43ª participação nas oitavas de um Grand Slam na carreira, Djokovic se iguala a Jimmy Connors e está atrás somente das 60 de Federer. Também fica perto de defender as quartas do ano passado e evitar assim a queda para o 28º lugar do ranking.

Calcado talvez no vasto histórico de 6 vitórias em 7 duelos contra o espanhol, Djokovic começou a partida num ritmo cauteloso tentando evitar a perda precoce de serviços como vinha acontecendo. Entrou em longas trocas e só foi ter uma chance de quebra no oitavo game. Por fim, viu Bautista sentir a pressão e entregar o set no 10º game. Sérvio tinha acertado até então apenas sete winners, sendo quatro com aces.

Mais solto, Djokovic claramente acelerou os golpes já no começo do segundo set e, mesmo num game em que o espanhol sacou bem, obteve a vantagem com bolas ofensivas e abriu 4/2. Aí o espanhol mudou a postura, decidiu arriscar mais e recuperou a quebra. O sérvio ainda teve três set-points para impedir o tiebreak e a frustração foi crescendo. O espanhol ficou o tempo todo à frente no desempate e ainda sacou com 6-4. Djokovic reagiu e aí deu azar numa forehand fácil que lhe daria 7-6. Irritadíssimo, destruiu a raquete e perdeu o set em seguida.

O fundamental terceiro set foi uma gangorra. Quebras trocadas no início, Bautista fez 3/1 e Nole empatou, mas não segurou e permitiu 5/3. Então conseguiu a quebra após três tentativas, o que se mostraria fundamental, e tudo foi a novo tiebreak. Djokovic foi desta vez bem feliz desde o começo e construiu rapidamente vantagem. Jogo chegava ao quarto set já com 3h09 de batalha e ameaça de chuva fina.

Sérvio manteve embalo, teimou em não se afastar da linha para não dar espaço ao adversário e abriu vantagem rapidamente, enquanto Bautista parecia ter perdido o ritmo e a confiança. Com 5/1, Djokovic se apressou para fechar e ainda cedeu um serviço, mas segurou outra vez a cabeça para concluir exigente partida de quase 4 horas.

Comentários