Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Saga de argentino termina com 1h30 de entrevistas
31/05/2018 às 07h30

Trungelitti entrou na chave com a desistência de Kyrgios

Foto: Divulgação
Guilherme Costa
Especial para TenisBrasil

Paris (França) - Depois de quatro dias de Roland Garros, há um consenso que a principal história do torneio até o momento é a saga do argentino Marco Trungelliti, que saiu de Barcelona de carro para chegar até Paris e jogar a chave de simples como lucky-loser. Nesta quarta-feira, ele foi eliminado do torneio pelo italiano Marco Cecchinato, mas ficou mais de 1h30 dando entrevistas após o jogo. Bem-humorado, tentou comparar sua participação neste ano com a que teve em 2016, quando também caiu na segunda fase.

"Foi bem diferente. Na primeira vez, eu perdi e não tinha ninguém para me entrevistar. Dessa vez, fiquei uma hora e meia dando entrevistas, algo como o que o Federer e o Nadal fazem todos os dias - disse, arrancando risos dos repórteres", declarou o atual 190 do mundo.

Sobre o jogo em que saiu derrotado por Marco Cecchinato por 3 a 0, parciais de 6/1, 7/6 e 6/1, o argentino comentou: "Ele jogou melhor que eu, eu tive chances no segundo set, mas não aproveitei. No terceiro, eu estava cansado, eu tentei, mas não foi o suficiente para vencer".

O argentino, que ficou conhecido em todo mundo pela sua saga de ir de Barcelona até Paris, disse que seguirá sem suas redes sociais.

"Não, nenhuma possibilidade de usar as redes de novo. Antes tinha tudo, Facebook, Twitter... E não usava muito, mas perdia tempo com isso. Então para ficar vendo fotos de quem eu nem sabia, não via sentido, prefiro fazer outras coisas, como ler, ou sair com os amigos", finalizou Trungelitti, que agora descansará alguns dias e ainda não tem uma previsão exata de seu calendário. O objetivo dele é alcançar o top 100 para entrar nas chaves dos torneios ATP.

Comentários