Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Rogerinho se esforça e dá trabalho a Djokovic
28/05/2018 às 10h43

Djokovic venceu Rogerinho pela segunda vez

Foto: Divulgação

Paris (França) - Como de hábito, Rogério Silva lutou por todos os pontos, fez grandes jogadas e liderou o começo dos dois primeiros sets. Ainda assim, o sérvio Novak Djokovic manteve seu amplo favoritismo e anotou as parciais de 6/3, 6/4 e 6/4 em sua estreia de Roland Garros.

O campeão de 2016 deve encarar agora o veterano espanhol David Ferrer, que enfrenta o qualificado Jaume Munar. Djokovic já enfrentou Ferrer 21 vezes e soma 16 vitórias, sendo todas as últimas 10 consecutivas, duas delas sobre o saibro. O triunfo mais recente de Ferrer foi em novembro de 2011.

Cabeça 20, Djokovic não aparecia numa posição pré-classificada tão baixa desde o US Open de 2006 e manteve a sina de jamais per perdido na estreia em Roland Garros em 14 participações.

Rogerinho por sua vez disputou a chave principal de Paris pela quarta vez na carreira e segue com apenas uma vitória, obtida em cima de Mikhail Youzhny no ano passado. Praticamente defendeu o ranking e poderá se manter no 134º posto, além de ter embolsado 45 mil euros.

No duelo desta segunda-feira na lotada Philippe Chatrier, Rogerinho aproveitou início instável do poderoso adversário e abriu 2/0. Cedeu empate no quarto game e teve chance de quebra pouco depois. O sérvio no entanto já havia elevado seu nível e passado a usar bem as paralelas de backhand.

A história se repetiu na abertura do segundo set, mas novamente Djokovic reagiu rapidamente e virou de 0/2 para 4/2. Rogerinho viveu evidente dificuldade quando precisou jogar com o segundo saque, ficando na defensiva. Ainda assim, arrancou aplausos - que Djokovic aderiu - ao fazer grandes lances no game final do set.

Sempre muito aplicado, Rogerinho manteve a cabeça no lugar e brigou game a game no começo do terceiro set, até ver Djokovic forçar devoluções precisas no quinto game. Não se entregou e, no oitavo, devolveu a quebra, o que deixou o adversário irritado. O brasileiro se apressou em seguida, cedeu o serviço e aí Djokovic não vacilou.

Comentários