Notícias | Dia a dia
Clima 'intimista' traz boas lembranças a Djokovic
16/05/2018 às 16h39

Djokovic atuou na tradicional quadra Pietrangeli nesta quarta-feira

Foto: Divulgação

Roma (Itália) - Tetracampeão do Masters 1000 de Roma, Novak Djokovic viveu uma experiência diferente nesta quarta-feira. Acostumado a jogar nos maiores estádios de cada torneio, o sérvio foi escalado para a tradicional quadra Pietrangeli e curtiu a atmosfera "intimista", que o fez lembrar do início de sua carreira.

"Foi uma ótima experiência jogar na Pietrangeli, que é uma quadra totalmente diferente do da Central", disse Djokovic após a vitória desta quarta-feira sobre o georgiano Nikoloz Basilashvili por 6/4 e 6/2 pela segunda rodada do Masters italiano.

"Tenho ótimas memórias daqui e acho que é legal jogar também na frente das pessoas que não podem comprar ingressos para a Quadra Central", avaliou o sérvio de 30 anos. "Eu não jogava nessa quadra há muitos anos e não me lembrava do quanto era bom. É uma atmosfera única, bem intimista, e uma das quadras mais bonitas do mundo".

Djokovic também falou sobre as principais diferenças da histórica arena do Foro Itálico em relação ao estádio principal, inagurado em 2010. "É uma quadra mais lenta, mas também mais escorregadia. O Basilashvili aproveitou para atacar bastante as extremidades da quadra e criar vários problemas para mim, especialmente no primeiro set".

Após marcar sua oitava vitória em 14 jogos neste ano, Djokovic reiterou que a melhor maneira de reencontrar seu melhor tênis é obter uma série de bons resultados e ganhar ritmo de jogo. "Não há treino melhor para este momentos do que jogar. Esse é um processo que eu tenho que aceitar se eu quiser voltar para a elite".

"Jogar jogos é totalmente diferente de treinar com sua equipe técnica, por conta da importância de ganhar um ponto ou um game. Eu já disse que o melhor treino é disputar partidas e se eu puder jogar tanto quanto for possível em Roma, é melhor", acrescentou o atual vice-campeão do torneio.

Djokovic enfrenta nas oitavas o canhoto espanhol Albert Ramos, 41º do ranking, a quem superou nos cinco duelos anteriores. "Já o enfrentei inúmeras vezes e estou certo de que será um jogo muito difícil. Ramos é sempre um adversário duro de ser vencido, ainda mais se for no saibro".

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis