Notícias | Dia a dia
Nadal prega respeito a Thiem para duelo das quartas
10/05/2018 às 19h57

Nadal lidera o retrospecto contra Thiem, seu adversário nas quartas, por 6 a 2

Foto: Divulgação

Madri (Espanha) - Garantido nas quartas de final do Masters 1000 de Madri, Rafael Nadal terá nesta sexta-feira, ao meio-dia (de Brasília) uma reedição da última final do torneio contra Dominic Thiem. Ainda que Nadal lidere o histórico por 6 a 2, o número 1 do mundo prega respeito ao austríaco, sétimo colocado, que foi o último a derrotá-lo no saibro.

"Amanhã eu jogo contra um dos melhores do mundo, o ranking diz isso. Além disso, neste piso, Thiem é um dos adversários mais perigosos. É uma partida chave para o torneio e estou pronto para dar tudo de mim", disse Nadal que venceu de forma arrasadora um recente duelo contra Thiem em Monte Carlo, onde perdeu apenas dois games.

A respeito da vitória por 6/3 e 6/4 contra o argentino Diego Schwartzman pelas oitavas, o espanhol avalia que teve um bom começo de jogo e que o final foi definido nos detalhes. "Foi um jogo difícil. Diego tem muito talento e ele é muito rápido. Dentro da dificuldade, acho que até 6/3 e 4/2, o jogo não era perfeito, mas estava bom. Ficou complicado depois que joguei dois games ruins seguidos".

"Tive sorte, ele cometeu duas duplas faltas e eu venci por 6/4, mas o jogo já estava aberto. Teremos que olhar para as estatísticas com Carlos [Moyá, seu treinador] porque graças a elas sabemos mais ou menos quando estou jogando bem", complementou sobre o jogo em que sofreu apenas uma quebra de serviço.

A vitória desta quinta-feira também fez com que Nadal mantivesse uma sequência invicta nos últimos 50 sets que disputou no saibro, tornando-se o tenista que mais venceu sets seguidos no mesmo piso, superando a marca de 49 estabelecida por John McEnroe em quadras de carpete no ano de 1984.

"Alguns recordes me deixaram mais empolgado do que outros. Por exemplo, o recorde de ganhar pelo menos um Grand Slam por seis anos significa que eu tenho sido muito regular por um longo tempo, tanto no tênis quanto no mental", avaliou o espanhol, que também venceu seus últimos 21 jogos disputados no saibro.

"Não que eu subestime alguns recordes, mas estou no meio de um torneio e não penso nisso. Hoje eu não joguei pensando que tinha que bater esse recorde, mas sim no que eu teria que fazer para ganhar o jogo, em dois ou três sets", afirmou o jogador de 31 anos. "Quando minha carreira terminar, essas coisas ficam. É muito difícil ganhar 50 sets. Mas agora já está feito e não vamos mais pensar nisso".

Comentários
Loja - livros
Mundo Tênis