Notícias | Dia a dia
Kuznetsova: 'Não vou longe se continuar perdendo'
07/05/2018 às 14h48

Kuznetsova já perdeu em quatro estreias neste ano

Foto: Arquivo

Madri (Espanha) - Uma das mais veteranas entre as top 100, a russa Svetlana Kuznestova já está pensando na aposentadoria. Em entrevista ao site espanhol Punto de Break, a tenista de 32 anos revelou que espera jogar por mais duas ou três temporadas, mas que pode antecipar o fim da carreira se não conseguir reencontrar seu melhor jogo.

Atual 27 do mundo, ela passou por uma operação no punho no ano passado, só voltou a competir em Indian Wells e venceu apenas duas partidas em 2018. "Estou bem longe de minha melhor forma, voltei faz pouco tempo de uma operação e meu objetivo agora é me concentrar na minha evolução técnica e no retorno da confiança", afirmou a russa.

"Foi a primeira vez que passei por uma cirurgia e necessito de tempo para voltar ao que era antes. É uma situação difícil, pois o problema foi no punho e ele ainda não está 100%. Também não estou totalmente recuperada, mas preciso seguir jogando para pegar ritmo", acrescentou a dona de 17 títulos, sendo dois deles de Grand Slam (Roland Garros 2009 e US Open 2004).

"Já estou ficando cansada do circuito e me coloquei um limite de mais dois ou três anos, mas sempre com a condição se estar jogando bem. Se continuar perdendo como agora, não creio que eu vá tão longe", observou Kuznetsova, que não passou da estreia no Premier de Madri, superada pela croata Petra Martic.

A russa acredita que possa dar a volta por cima e aposta que a sequência de jogos lhe dará melhor ritmo de jogo. Contudo, ela reforçou que derrotas seguidas podem acelerar sua aposentadoria. "Se estou no top 30 é porque estou ganhando muitas partidas. Sou uma jogadora acostumada com as vitórias e sofre muito quando perco", finalizou.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis