Notícias | Dia a dia
Kvitova fala do choro pelo 1º título em Praga
07/05/2018 às 10h08

Madri (Espanha) – Depois de seis dias, seis vitórias e o título inédito no Aberto de Praga, no sábado passado, a tcheca Petra Kvitova terá finalmente um dia de folga na capital espanhola, onde estreou neste domingo com vitória sobre Lesia Tsurenko por 6/1 e 6/2. No sábado, a número 10 do mundo derrotou a romena Mihaela Buzarnescu por 4/6, 6/2 e 6/3 para conquistar o terceiro título na temporada, antes de pegar um vôo particular para Madri.

"Foi bem cansativo jogar a final em 2h15. Estou um pouco cansada e tenho finalmente um dia de folga", comentou com os jornalistas neste domingo. "Fisicamente, o corpo está bem, embora sinta um pouco de rigidez e cansaço. Mas emocionalmente, eu senti. A final e o discurso foram bastante emocionantes. Então, por causa disso, estou exausta, mas o corpo está bem."

Kvitova não pôde conter as lágrimas em Praga ao ganhar seu primeiro WTA em casa e poder agradecer em sua própria língua, diante de uma calorosa torcida. "Eu não tinha preparado nada”, disse a bicampeã de Wimbledon. "Eu sabia que meu médico e muita gente viria. De repente, eu apanhei o microfone, comecei a falar e tudo veio na minha cabeça e eu não conseguia parar de chorar. Estou feliz de ter conseguido. Foi meu primeiro torneio em casa e jogando no meu clube, então, foi muito especial. Meus pais ficaram comigo no meu apartamento toda a semana. Não discutimos, nada. Foi ótimo. Mamãe me mimou. Me senti um pouco estranha", comentou Kvitova, dando risada.

Há um ano, Kvitova assistiu ao torneio como espectadora, ainda se recuperando da ferida à faca na mão esquerda, sua mão dominante, sofrida quando foi assaltada em casa, em dezembro de 2016. Então, estar na final no sábado, com a quadra do TK Sparta Praha lotada e ganhar seu 23º título de simples da WTA diante de numerosa torcida, de sua equipe, de seus pais, do médico que salvou sua mão e da lenda tcheca Martina Navratilova foi emoção demais para a jogadora de 28 anos.  

Conquistar quatro títulos desde seu retorno às competições é um saldo inesperado para Kvitova. "Eu não podia imaginar voltar e ganhar quatro títulos. Três este ano e estamos apenas em maio. É uma grande surpresa." Kvitova nem teve tempo de comemorar o título. Me despedi dos meus país, que tinham uma longa viagem de carro para voltar para casa e já estava focada na minha primeira partida aqui.” Na segunda rodada, a bicampeã de Madri vai enfrentar a porto-riquenha Monica Puig, na terça-feira, que a derrotou nos dois confrontos anteriores.

Comentários
Loja - livros
Mundo Tênis