Notícias | Dia a dia
Wozniacki: equilíbrio no saibro é bom para a WTA
04/05/2018 às 17h43

Dinamarquesa destaca que torneios no saibro são muito abertos

Foto: Arquivo

Madri (Espanha) - Enquanto a temporada masculina no saibro tem amplo favoritismo para Rafael Nadal, que já foi campeão em Monte Carlo e Barcelona este ano e luta por seu 11º troféu de Roland Garros, o mesmo não pode ser dito no circuito feminino. O maior equilíbrio de forças no saibro é celebrado pelas jogadoras, como a número 2 do mundo Caroline Wozniacki.

"Acho que é melhor que não haja uma jogadora que seja especialista em quadras de saibro", disse Wozniacki nesta sexta-feira em Madri, onde disputa o forte WTA Premier local durante a próxima semana.

"Não é como se tivéssemos alguém como o Rafa no circuito feminino, que você sabe que deve ir para casa depois de jogar com ele. Acho isso ótimo. Os torneios estão muito abertos, especialmente no saibro e qualquer uma pode ganhar. Vou tentar aproveitar isso", avaliou a dinamarquesa, que estreia contra a australiana Daria Gavrilova.

Dona de 28 títulos no circuito, com destaque para o Australian Open deste ano e o WTA Finals do ano passado, Wozniacki venceu apenas quatro torneios no saibro e seu último título no piso foi no ano de 2011 em Bruxelas. "Tenho uma relação de amor e ódio, eu diria", comenta a ex-líder do ranking. "Alguns dias eu realmente gosto de jogar no saibro e acho que está tudo bem, já em outros dias eu simplesmente não consigo".

"Estou apenas tentando manter uma mentalidade positiva na temporada de saibro e continuar trabalhando em algumas coisas. À medida que você envelhece e fica mais experiente, sabe mais o que fazer", avaliou a tenista de 27 anos, que já foi finalista em Madri ainda na temporada 2009.

A número 4 do mundo Elina Svitolina compartilha da opinião de Wozniacki sobre não haver uma clara favorita no saibro em comparação ao circuito masculino. "É difícil dizer [quem são os favoritos]", disse a ucraniana. "Eu tento pensar uma partida de cada vez. É uma pergunta complicada".

"Há muitas jogadoras jogando bem no saibro. Cada ano é um pouco diferente, mas sempre há algumas surpresas nas primeiras fases dos grandes torneios. Veremos", completa Svitolina, que estreia em Madri contra a francesa Alizé Cornet já neste sábado.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis