Notícias | Dia a dia
Brengle processa WTA e ITF por lesão após exame
10/04/2018 às 16h29

A norte-americana sofreu dano no braço após exame antidoping

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Atual 83ª colocada no ranking mundial, a norte-americana Madison Brengle decidiu processar a WTA e a ITF por conta de problemas físicos e emocionais causados após a realização de um exame de sangue em teste antidoping. A tenista alega ter sofrido danos permanentes no braço direito.

Em entrevista ao jornal New York Times, Brengle disse que sua família apresenta reação depois de injeções na veia há várias gerações. O processo também é direcionado à International Doping Tests and Management (IDTM), companhia sueca que administra os testes da Federação Internacional. Também são acusados Stuart Miller, representando a ITF, e John Snowball da IDTM.

Brengle relata que não tinha problemas com imunizações ou outras injeções até passar por uma sedação intravenosa quando removeu os dentes do siso aos 17 anos. "Parecia que meu braço estava sendo cortado", disse ela. "Eu estava gritando de dor, porque eu não esperava por isso".

A tenista de 28 anos conta que seu primeiro exame antidoping foi realizado ainda em 2009, durante o qualificatório para Wimbledon. Na ocasião, a profissional que administrava o exame errou a veia duas vezes e que a veia estourou na terceira oportunidade. "Eu caí no chão e desmaiei de dor".

Desde o incidente, Brengle só voltaria a passar por exames antidoping em 2016, às vésperas de três Grand Slam, na Austrália, em Wimbledon e no US Open. O teste realizado antes do Slam americano é o que causou problemas para a tenista, que teve um inchaço no braço e precisou abandonar seu jogo de estreia na competição. Até hoje, a tenista relata ter inchaço na mão direita e que perdeu a sensibilidade em três dedos.

"Esse é o teste do qual meu corpo nunca se recuperou ”, disse Brengle. "Isso mudou minha carreira e mudou minha vida, mais do que qualquer um pode saber", acrescentou a jogadora, que propõe a realização de testes alternativos como exame por amostras de pele ou de urina.

Embora esteja no top 100 do ranking, Brengle garante que terá que abandonar o esporte caso tenha que passar por mais exames de sangue. "Isso partiria meu coração, mas minha saúde é mais importante".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis