Notícias | Copa Davis
Sorgi não repete façanha e Brasil é eliminado
08/04/2018 às 01h07

Sorgi foi superado pelo colombiano Alejandro González no jogo que definiu a série

Foto: Arquivo

Barranquilla (Colômbia) - Pouco mais de dois meses depois de decidir a favor do Brasil o duelo contra a República Dominicana pela Copa Davis em Santo Domingo, João Pedro Sorgi foi novamente escalado para um quinto jogo. Desta vez diante da Colômbia, em Barranquilla, Sorgi não repetiu a façanha e caiu diante de Alejandro González por 6/3 e 7/6 (7-0).

Enquanto Sorgi, jogador de 24 anos e 359º colocado, fazia apenas seu terceiro jogo de Copa Davis na carreira, o experiente González melhorou seu retrospecto no torneio. Ex-top 70 e atual 305º do ranking, o jogador de 29 anos marcou a sexta vitória em onze partidas defendendo a Colômbia na centenária competição entre países.

O Brasil não perdia um confronto de Zonal da Davis desde 2004, quando acabou rebaixado do Grupo I para o Grupo II após derrotas para Paraguai, Venezuela e Peru. Naquele ano, houve um boicote ao então presidente da CBT Nelson Nastás. Para enfrentar o time peruano em Brasília, foram escalados Ronaldo Carvalho (440º do ranking), Gabriel Pitta (726º), Alessandro Camarco (540º) e Leonardo Kirche (682º).

Desde então, a equipe brasileira sempre venceu as seletivas continentais e disputa os playoffs para o Grupo Mundial de forma ininterrupta desde 2006. Por duas vezes, o selecionado nacional conseguiu o acesso à elite da competição depois de vencer a Rússia em 2012 e a Espanha dois anos mais tarde, em dois duelos realizados dentro de casa.

Esta é também a primeira vez que o Brasil perdeu um confronto para a Colômbia em Copa Davis. Até então, haviam acontecido oito embates anteriores, sempre com vitórias brasileiras. Entre os dias 14 e 16 de setembro, os colombianos disputarão os playoffs para o Grupo Mundial pela sexta vez na história e buscam uma inédita vaga na elite da Copa Davis.

Sorgi teve um bom começo de partida ao colocar em quadra um tênis agressivo e ser pouco ameaçado em seus dois primeiros games de serviço. Por outro lado, González demorou para se sentir realmente à vontade e precisou salvar quatro break points no começo da partida. Um game mal jogado pelo paulista, que fez escolhas equivocadas para a definição dos pontos, custou a primeira quebra do jogo a favor do colombiano, que voltaria a quebrar antes do fim do set inicial.

A vantagem de González ficou ainda maior com uma quebra no início do segundo set e liderança por 2/0. Sorgi conseguiu buscar o empate de imediato e equilibrar as ações. Os sacadores prevaleceram até o fim da parcial, sendo que o paulista teve que confirmar o serviço duas vezes estando a um game da derrota antes de forçar o tiebreak. Durante o game-desempate, González foi firme no saque, dominante do fundo de quadra, contou com erros de Sorgi e ainda fez um incrível voleio. A superioridade do experiente anfitrião rendeu a vitória colombiana no confronto.

Comentários