Notícias | Dia a dia
Condições em Doha não intimidam Wozniacki
14/02/2018 às 18h33

Wozniacki se sente perfeitamente adaptada às condições do torneio

Foto: Divulgação

Doha (Qatar) - Nem mesmo um dia com muito vento em quadra comprometeu a estreia de Caroline Wozniacki no WTA Premier de Doha. Depois de marcar uma tranquila vitória por 6/2 e 6/0 em apenas 57 minutos contra a alemã Carina Witthoeft, a número 1 do mundo comentou sobre as condições que encontrou nesta quarta-feira. E a dinamarquesa tinha motivos para se sentir perfeitamente adaptada.

"Eu cresci na Dinamarca, e lá venta todo dia. Não ligo tanto para isso. Eu me senti muito confortável na partida de hoje e essa quadra favorece meu jogo, então estou feliz com essa vitória", disse Wozniacki, que é atual vice-campeã do torneio e também finalista em 2011. Em Doha também, a dinamarquesa foi vice no WTA Finals de 2010.

Wozniacki volta à quadra a partir das 14h (de Brasília) desta quinta-feira para enfrentar a romena Monica Niculescu. Embora lidere o retrospecto por 8 a 0, ela lembra do recente duelo de 3h27 ocorrido no saibro de Madri. "Já joguei com ela algumas vezes. Tivemos um jogo maluco em Madri no ano passado. Você sabe o que esperar, mas ao mesmo tempo você não sabe o que esperar. Será um jogo divertido e vou apenas tentar ser agressiva como fui hoje".

Depois de enfim conquistar seu primeiro título de Grand Slam e ainda voltar a ser número 1 do mundo, Wozniacki falou sobre o desafio de se manter em alto nível. "Honestamente é uma questão de me manter motivada e estabelecer novos objetivos. Estou muito feliz com a forma que estou jogando. Ainda estou em grandes torneios e enfrentando grandes jogadoras, mas tenho que começar desde a primeira rodada. É diferente. Mas tenho que me manter focada e relaxada".

Em sua terceira passagem pela liderança do ranking, a dinamarquesa de 27 anos também comparou o atual momento com a primeira vez que assumiu a primeira posição ainda em 2010. "São dois sentimentos diferentes. Acho que na primeira vez foi incrível porque sempre foi o meu sonho e algo que eu nunca soube se seria possível e voltar foi ainda mais difícil porque muitas coisas aconteceram nesse meio tempo. Conseguir voltar depois do Australian Open foi muito especial e estou muito orgulhosa disso".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis