Notícias | Dia a dia | Australian Open
Wozniacki enfim ganha seu Slam e volta ao nº 1
27/01/2018 às 09h24

Wozniacki esperou 43 Grand Slam para enfim ser campeã

Foto: Site oficial

Melbourne (Austrália) - Acabou o pesadelo para Caroline Wozniacki. Depois de perder duas chances de conquistar um Grand Slam, a dinamarquesa de 27 anos disputou uma final exemplar, segurou os nervos e faturou o Australian Open em cima da líder do ranking Simona Halep, por 2 sets a 1 e parciais de 7/6 (7-2), 3/6 e 6/4, após 2h49.

O sábado de ouro de Wozniacki ainda foi coroado com um cheque de US$ 3,2 milhões e o retorno à liderança do ranking exatos seis anos depois. A dinamarquesa foi número 1 duas vezes e por 67 semanas, a última delas durante o Australian Open de 2012. Halep ocupava o posto desde 9 de outubro do ano passado.

Wozniacki e Halep fazem parte do grupo de sete jogadoras que atingiram o lugar mais alto no ranking da WTA antes de vencer um dos quatro principais torneios do circuito. A dinamarquesa agora se iguala à belga Kim Clijsters e à francesa Amélie Mauresmo, que conseguiram posteriormente seus títulos, enquanto Halep seguirá na espera tal qual a sérvia Jelena Jankovic, a russa Dinara Safina e a tcheca Karolina Pliskova.

As frustrações de Wozniacki eram bem mais antigas, tendo perdido as decisões do US Open em 2009 e 2014. Já Halep amargou dois vices em Roland Garros, em 2014 e 2017. As duas tiveram também caminhada tortuosa até a final deste Australian Open e enfrentaram match-points ao longo de suas campanhas. Wozniacki chegou a estar atrás por 1/5 no terceiro set diante de Jana Fett e ganhou seis games seguidos ainda na segunda rodada. Halep havia salvado match-points em duas longas partidas.

Para obter sua quinta vitória em sete duelos, a quarta consecutiva, Wozniacki entrou com uma postura inesperada em quadra e agrediu desde a primeira bola. Mais importante ainda, fez isso com enorme eficiência, a ponto de fechar um intenso set de 13 games com apenas seis erros não forçados, dois deles no único game de serviço que deixou escapar.

Halep nem jogou mal, porém pareceu surpresa diante da postura tão firme da adversária, que investiu bem mais nas paralelas. Com esforço, Halep passou a equilibrar o jogo a partir do quarto game e ainda recuperou a quebra para empatar no 10º game. Wozniacki se mostrou mentalmente firme, não se abalou e disputou um tiebreak notável em que encurralou a romena o tempo todo.

Disputado sob calor de 30 graus e com 71% de umidade apesar da noite local, o desgaste de torneio tão exigente começou a incomodar Halep. Após game de 10 minutos em que salvou quatro break-points, pediu atendimento médico, tomou pílula e pareceu perder intensidade. Daí arriscou ainda mais e chegou à quebra no oitavo game. Sofreu para fechar o set e deixar ainda mais emocionante a decisão.

Após intervalo de 10 minutos devido à regra do calor, jogou viu sucessão de quatro quebras em cinco games. Wozniacki teve 2/0 e 3/1, assistiu à incrível reação de Halep, que virou para 4/3 com saque. Foi sua vez de pedir ajuda médica para o joelho e aí voltou a ser menos passiva, reagiu e fez 5/4. Chegou ao match-point num lance de notável agilidade e competência

Ao erguer seu 28º título da carreira, a dinamarquesa se tornou a quarta jogadora da Era Aberta que mais demorou para vencer um dos quatro principais títulos, precisando de 43 Slam para isso. Na sua frente estão apenas a italiana Flavia Penneta (49), a francesa Marion Bartoli (47) e a tcheca Jana Novotna (45).

Comentários