Notícias | Dia a dia | Australian Open
Federer: 'Sabia que ele teve problemas e aproveitei'
26/01/2018 às 10h31

Suíço já tinha conhecimento sobre limitação física de Chung dos jogos anteriores

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Classificado para a final do Australian Open, Roger Federer acredita que soube aproveitar a limitação física de Hyeon Chung, que desistiu da semifinal desta sexta-feira ainda no segundo set com bolhas no pé esquerdo, para abrir uma tranquila vantagem no placar enquanto a partida transcorria. O suíço percebeu as dificuldades de movimentação e defesa de seu jovem adversário e acredita ter feito uma boa atuação nesta sexta-feira.

"Eu preferiria um final normal de jogo, mas também devo admitir que é importante fazer algumas partidas mais rápidas sempre que puder, para minimizar o desgaste do corpo e porque há muitos jogos difíceis ao longo da temporada", disse Federer após a partida de apenas 1h03, que terminou com as parciais de 6/1, 5/2 e desistência.

"Não há nada que você possa fazer sobre isso. Estou apenas feliz por estar na final. Esse era meu objetivo antes do jogo hoje e consegui chegar lá. Não nas circunstâncias que eu esperava, mas fiz uma boa partida. Ele claramente teve dificuldades na movimentação e consegui aproveitar isso. Desejo-lhe uma boa recuperação", acrescenta o suíço, que disputará sua trigésima final de Grand Slam e tentará conquistar seu vigésimo título.

"Sabia que ele estava tendo problemas nos pés antes do jogo, mas também sabia que ele teve isso antes das partidas contra o Novak e Sandgren e soube lidar muito bem. Eu estava tentando bloquear isso. Se ele não tivesse problemas, tudo bem, seria um jogo normal. Se ele tivesse problemas, má sorte para ele, e iria aproveitar isso", complementa o pentacampeão em Melbourne, que tenta se tornar no terceiro homem a vencer o Slam australiano em seis oportunidades.

Adversário do croata Marin Cilic na decisão marcada para o próximo domingo, Federer destaca que o fato de o rival já ter um título de Grand Slam -o US Open de 2014- o deixa com bastante confiança para repetir o feito. Desde a conquista em Nova York, Cilic já chegou a mais duas finais de Slam, ficando com o vice em Wimbledon no ano passado e lutando por uma conquista inédita na Austrália.

"Acho que quando ele ganhou o US Open, como quando o Stan ganhou aqui alguns anos atrás, eles ganharam uma confiança muito grande de que podem vencer esses grandes torneios. Não é fácil, mas se atingirem esse nível nos momentos mais importantes, podem chegar lá de vez em quando", disse Federer que tem oito vitórias e uma derrota contra Cilic.

"Acho que ele jogou muito contra o Rafa. Acho que a conifança e o pensamento positivo dele o fizeram ganhar aquele jogo porque não estava tão bem na partida por um tempo, quando ele perdia por um set e quebra", lembrou sobre o duelo de cinco sets que Cilic fez contra Rafael Nadal nas quartas. Aquela partida acabou abreviada por uma lesão muscular do espanhol, que irá tirá-lo de quadra por três semanas.

O vice-líder do ranking também enaltece a atitude que Cilic tem dentro de quadra e destaca que o croata pensa como um campeão em todas as partidas. "No final do ano passado, quando eu joguei com ele no ATP Finals, ele já havia perdido os dois jogos na fase de grupos e talvez deveria ter ganhado pelo menos um dos dois primeiros. Ele veio jogar comigo com a atitude de um vencedor e fez um jogo duro, de três sets. Não parecia que estava enfrentando um cara que já estava eliminado".

"Gosto da sua atitude. Ele é muito profissional e é sempre o mesmo, independentemente de ganhar ou perder. Na quadra, ele é um vencedor. Ele está lá para ganhar o jogo e não apenas para estar lá. Às vezes, você vê outros jogadores que sentem felizes por chegarem às quartas. Acho que ele se esforça por mais e gosto dessas atitudes", falou sobre o rival de 29 anos, que saltará do sexto para o terceiro lugar do ranking.

Federer conta sobre a experiência que teve de bater bola com Cilic durante suas férias nas Ilhas Maldivas, no fim de novembro. "Eu já estava na ilha e falaram para mim que o Marin estava chegando. Eu era como, 'Ah, isso é legal'. Quando ele chegou, eu não queria incomodá-lo e ele também não queria me incomodar. Mas depois de dois dias, ele me escreveu: 'Também estou aqui, caso de você queira bater bola, me avise'".

"Nós treinamos duas vezes por 45 minutos. Foi divertido, sem treinadores, nem nada, apenas nós dois batendo bola. Foi legal e descontraído. Pude conhecer a pessoa por trás do jogador de tênis. Saímos para jantar com a minha família e também pude conhecer a noiva dele. Não era sempre que estávamos juntos, mas nossos caminhos cruzaram várias vezes".

Ainda sem perder sets no torneio, Federer acredita que não há muito o que melhorar em seu jogo para a final em Melbourne. Ele espera apenas manter o nível que vem apresentando e tentar jogar bem desde os primeiros games. "Eu só tenho que jogar uma boa partida. Não se trata de ter de melhorar nada em particular. Eu acho que eu fiz tudo muito bem e só espero que eu tenha um bom começo para a partida".

"Espero poder variar meu jogo e sacar bem desde o início, para não entrar muito em problemas já no começo. Espero também que eu possa ler bem o saque dele", explicou o pentacampeão. "Estou satisfeito pelo fato de estar jogando bem desde o início do torneio até agora. Quero dizer, ganhei todos os meus jogos sem perder um set".

Comentários