Notícias | Dia a dia | Australian Open
Pliskova admite dificuldade contra rivais sólidas
24/01/2018 às 10h03

Pliskova tem histórico negativo contra Halep, Radwanska, Kerber e Wozniacki

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - Eliminada por Simona Halep nas quartas de final do Australian Open e vendo a romena fazer nove games seguidos na partida que venceu por 6/3 e 6/2, Karolina Pliskova reconhece que tem dificuldade para enfrentar adversárias mais sólidas como a própria a Halep, além de Agnieszka Radwanska, Angelique Kerber e Caroline Wozniacki.

"Acho que é bem parecido. Bem, nós conhecemos o meu retrospecto contra a Radwanska, certo?", brincou a Pliskova, que já perdeu todas sete partidas que fez contra a polonesa e tem retrospecto negativo contra todas as demais jogadoras citadas. "Mas sim, acho que todas elas são parecidas".

"Para mim, ainda é melhor jogar contra a Kerber e a Wozniacki, porque eu sinto que, com os forehands delas, eu ainda consigo pressioná-las e ganhar alguns pontos", explicou a tcheca. "Já contra a Halep, ela parece gostar de quando eu a pressiono e acelero a bola, porque ela não precisa colocar força nos golpes. Isso é o que eu sinto".

"Contra a Caro, acho que ela também não gosta do meu jogo. E ainda assim, ela me venceu algumas vezes. Sinto que sempre há uma chance contra ela, embora ela esteja sacando muito melhor e mostrando melhores golpes em quadra. Mas para mim, enfrentar a Halep é o pior. Eu apenas rezo para que ela não esteja no lado da chave".

A tcheca tenta evitar a frustração pela derrota e destaca que teve um bom começo de ano. "Eu não quero ser tão negativa porque perdi nas quartas de final, o que ainda é o melhor resultado no torneio para mim. Obviamente, eu queria e senti que poderia ir mais longe, mas ela é uma das adversárias mais difíceis para mim. Talvez da próxima vez eu possa ter mais sorte com o sorteio".

"Acho que fiz alguns bons jogos aqui e também em Brisbane. Para mim, é importante que eu comece o ano com ritmo em vez de perder na primeira ou segunda rodada. Isso seria difícil para a sequência do ano. Mas da forma como foi, sinto posso melhorar", acrescentou a jogadora de 25 anos.

Pliskova também comentou sobre o favoritismo para as fases finais do torneio. Ela acredita que Caroline Wozniacki vencerá a semi contra Elise Mertens e tem boas chances de vencer seu primeiro Grand Slam. "Tenho certeza de que ela vai passar pela partida que ela vai ter amanhã, na semifinal", afirmou. "Já na final, vai depender de quem vai estar lá. Se for contra a Kerber, vai ser difícil porque ela tem experiência em finais e também já venceu duas vezes. Por outro lado, se Halep estiver lá, acho que o Caro pode lidar melhor com o nervosismo. Acho que o torneio está aberto, com certeza. Ela é uma das favoritas agora".

Comentários