Notícias | Dia a dia | Australian Open
Barty avança e será a última australiana na chave
18/01/2018 às 11h45

Barty tenta ser a primeira anfitriã a vencer o torneio desde 1977

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - A esperança de título para uma anfitriã no Australian Open estão depositadas em Ashleigh Barty. A jovem de 21 anos e 17ª do ranking é a última jogadora da casa viva no torneio. Nesta quinta-feira, Barty se garantiu na terceira rodada ao vencer a italiana Camila Giorgi, 71ª do ranking, por 5/7, 6/4 e 6/1.

Barty foi uma das três jogadoras australianas a disputar a segunda rodada, sendo que as outras duas caíram na última quarta-feira. A convidada Olivia Rogowska perdeu para a ucraniana de 15 anos Marta Kostyuk, enquanto Daria Gavrilova foi superada pela belga Elise Mertens.

A última australiana a vencer o torneio foi Chris O’Neil, em 1978. Na Era Aberta, foram dez títulos para jogadoras da casa, sendo quatro de Margaret Court, outros quatro de Evonne Goolagong e um de Kerry Reid, além da já citada O'Neil.

O jejum australiano só é menor que o das britânicas em Wimbledon, já que a última atleta da casa triunfar na grama do All England Club foi Virginia Wade, em 1977. No saibro de Roland Garros, a última conquista francesa veio com Mary Pierce em 2000. Já no US Open, houve uma espera de três anos após o último título de Serena Williams em 2014 até que Sloane Stephens fosse campeã no ano passado.

A próxima adversária de Barty no Australian Open será a japonesa de 20 anos Naomi Osaka, 72ª colocada, que venceu a russa Elena Vesnina por 7/6 (7-4) e 6/2. O duelo entre as duas é inédito no circuito.

Comentários