Notícias | Dia a dia | Australian Open
Djokovic nega hipótese de boicote aos torneios
16/01/2018 às 06h54

Sérvio também aprovou desempenho na estreia e falou sobre as mudanças no saque

Foto: Divulgação

Melbourne (Austrália) - A reunião fechada entre os jogadores do circuito masculino, que na ocorreu última sexta-feira e ganhou os jornais no domingo, foi bastante comentada durante entrevista de Novak Djokovic após seu primeiro jogo em Melbourne. O sérvio, que é membro ativo do Conselho dos Jogadores na ATP, teve que desmentir alguns tópicos como a hipótese de boicote aos torneios e expor sua versão dos fatos.

"Alguns de vocês escreveram uma história um pouco exagerada, as coisas foram tiradas do contexto. Fui retratado como alguém muito ganancioso, que pede mais dinheiro e quer boicotar o torneio", disse Djokovic nesta terça-feira em Melbourne.

"Respeito a liberdade e de vocês e as decisões para fazer isso. Mas muito do que dito é verdade. O que aconteceu foi que nós, jogadores, queríamos que conversar sobre certos tópicos. Não acho que haja algo errado sobre isso. Nós costumamos reunir uma centena de jogadores duas ou três vezes no ano inteiro e este é um dos lugares onde nos reunimos", explicou o ex-número 1 do mundo.

"Queríamos aproveitar essa oportunidade para falar sobre certos assuntos, ver como todos reagem a isso, e ver quais são as opiniões. Não foi tomada nenhuma decisão. Não houve conversas sobre boicote ou algo assim. Tudo seguiu de uma maneira muito normal e educada. Os jogadores queriam ficar sozinhos. Havia até uma centena de jogadores na sala. Falamos sobre coisas de que falamos. Isso é tudo", complementou o jogador de 30 anos, que não deu detalhes sobre o teor das discussões.

Perguntado se a questão da igualdade de premiação entre homens e mulheres foi colocada em discussão, o sérvio apenas respondeu que "Não". Ele reforçou que um possível boicote não foi discutido: "Este não foi um assunto que eu levantei, então não". Djokovic também negou a versão de que os atletas convocaram um advogado para a reunião: "Não. De onde vocês tiraram isso?".

Em seu primeiro jogo desde Wimbledon, recuperado de uma lesão no cotovelo, Djokovic comemorou seu retorno às competições. "Bem, foi ótimo voltar a competir novamente. Fazia muito tempo que eu não jogava e você não sabe como vai começar", disse após a vitória por 6/1, 6/2 e 6/4 sobre o norte-americano Donald Young.

"Eu passei muitas horas em quadra nas últimas duas semanas, joguei muitos sets de treinos, mas fiz apenas uma partida antes desse torneio em Kooyong", explicou o sérvio, que não disputou nenhum torneio preparatório para o primeiro Grand Slam do ano e apenas jogou exibições. "Em quase todas essas sessões de treino, eu pude sentir que estou batendo bem na bola. Então eu estava esperando que isso continuasse obviamente na primeira rodada do Aberto da Austrália", avaliou o atual 14º do ranking.

"Jogar um set de treino e jogar uma partida oficial em um Grand Slam é bastante diferente porque você sente o nevosismo. Mas eu usei minha experiência de estar nessas circunstâncias particulares muitas vezes na minha vida que me permitiram manter o foco e ter a intensidade certa", complementa hexacampeão do torneio, que enfrentará o francês Gael Monfils na segunda rodada.

Djokovic também comentou sobre a mudança que fez em seu movimento de saque e como se sentiu ao executá-la pela primeira vez em um jogo oficial. "O segundo saque foi muito bom. Estou muito feliz com o segundo saque. O primeiro saque teve altos e baixos. Mas estou bastante satisfeito. Sei que vai levar um pouco de tempo para que eu me acostumar com as mudanças específicas que eu fiz no meu movimento de saque. Não foi o ideal, mas ainda foi bom. Estou ansioso para trabalhar mais com isso. Espero melhorar neste aspecto".

Comentários