Notícias | Dia a dia
Sensação australiana faz primeira final da carreira
12/01/2018 às 09h59

De Minaur é um dos que mais somou pontos em 2018

Foto: Divulgação

Sydney (Austrália) - As duas primeiras semanas da temporada serviram para o mundo começar a conhecer melhor o jovem australiano Alex de Minaur, a sensação deste começo de 2018. Depois de fazer semi no ATP 205 de Brisbane, o tenista de apenas 18 anos garantiu nesta sexta-feira a primeira final da carreira, no ATP 250 de Sydney.

O francês Benoit Paire foi o seu adversário da vez e assim como na semana anterior, novamente foi superado pelo promissor atleta da casa, que saiu atrás e mostrou firmeza para buscar a virada, levando 1h49 para chegar à vitória com o placar final de 4/6, 6/1 e 6/1.

Mais jovem finalista de um torneio ATP desde o norte-americano Taylor Fritz, em Memphis 2016, De Minaur dará um grande salto no ranking com a campanha em sua cidade natal. O finalista de Sydney vai sair da atual 167ª colocação para a 127ª e a arrancada pode ser ainda maior do que estas 40 posições se ele conseguir o título, alcançando o 101º posto caso a taça venha.

De Minaur mostrou maturidade na partida contra Paire, que levou o primeiro set com uma quebra solitária no nono game. Mesmo com o placar adverso, o australiano se manteve firme no jogo e terminou a partida com bem menos erros não forçados (30 a 50) e uma bola vencedora a mais (23 a 22). Ele foi firme nas duas parciais seguintes e só permitiu ao francês conquistar um game em cada.

Na decisão, o jovem atleta da casa terá pela frente o russo Daniil Medvedev, que veio do quali e nesta sexta deixou pelo caminho o italiano Fabio Fognini, cabeça de chave 4 e último entre os favoritos ainda vivos na competição, também vencendo de virada, com o placar final 2/6, 6/4 e 6/1, em 1h52 de partida.

Atual 84 do mundo, Medverdev vai disputar sua segunda final da carreira e como foi vice-campeão do ATP 250 de Chennai, no ano passado, persegue, assim como o rival, um título inédito no circuito. O russo também irá subir bem no ranking, saltando para 65 do mundo com a decisão e podendo chegar ao 53º lugar com a taça.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis