Notícias | Dia a dia
Para Wozniacki, circuito está cada vez mais forte
03/01/2018 às 18h16

Dinamarquesa destaca a maior potência nos golpes e estilo agressivo das rivais

Foto: Divulgação

Auckland (Nova Zelândia) - Vivendo seu melhor momento desde que liderou o ranking mundial entre outubro de 2010 e janeiro de 2012, Caroline Wozniacki analisou a evolução que o circuito feminino teve nos últimos anos. Para a atual número 3 do mundo, e que voltará à vice-liderança na semana que vem, ocorreram mudanças significativas em termos de potência dos golpes e estilos de jogo.

"Acho que o circuito evoluiu. O jogo hoje tem muita profundidade e muito mais potência. Há cinco ou dez anos nós víamos muitos 6/1 e 6/0 nas primeiras rodadas de Grand Slam e isso já não acontece tanto atualmente", disse Wozniacki em entrevista coletiva durante o WTA de Auckland, onde inicia sua temporada.

"Muita coisa mudou, as jogadoras conseguem cuidar mais do corpo e prolongar a carreira. Há uma série fatores e enquanto eu puder jogar, estarei feliz. As jogadoras top precisam continuar evoluindo, porque as mais jovens estão vindo atrás de nós", explicou a dinamarquesa de 27 anos.

Caracterizada por um tênis mais defensivo, Wozniacki explica que precisou mexer em seu plano de jogo para se manter em alto nível. "Eu estou tentando manter as pernas em movimento e tomar as decisões certas. Tenho que esperar que as bolas certas para ser agressiva e encontrar um equilíbrio entre ataque e defesa".

Principal favorita em Auckland, Wozniacki cedeu apenas sete games nas duas primeiras rodadas, teve o saque quebrado apenas uma vez no torneio e passou menos de duas horas em quadra. A atuação na vitória por duplo 6/2 sobre Petra Martic nesta quarta-feira foi comemorada.

"Acho que houve períodos em que eu estava jogando muito bem", disse a ex-número 1 do mundo. "Cometi alguns erros aqui e ali, mas acho que de um modo geral, posso ficar feliz com a minha performance, especialmente porque ela é uma jogadora agressiva e que saca bem. Eu consegui sacar bem e colocar muitas devoluções dentro de quadra".

O desempenho na estreia contra Madison Brengle, a quem derrotou por 6/3 e 6/0 na terça-feira, também foi comemorado. "Penso que joguei muito bem, especialmente considerando que foi o primeiro jogo do ano. Precisei de alguns games para adquirir ritmo e depois comecei a jogar cada vez melhor".

Em busca de um lugar na semifinal, Wozniacki enfrenta a jovem norte-americana de 19 anos Sofia Kenin, 108ª do ranking, a partir das 4h (de Brasília) desta quarta-feira. "Nunca a vi jogar, mas meu pai [e treinador, Piotr Wozniacki] fará uma pesquisa sobre ela. Tenho que entrar e fazer o meu jogo, mas vou saber mais sobre o jogo dela antes de enfrentá-la amanhã."

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis