Notícias | Dia a dia
Kleybanova vence final entre sobreviventes do câncer
25/09/2017 às 18h37

Kleybanova e Duval decidiram o torneio de simples e foram campeãs de duplas

Foto: Divulgação

Lubbock (EUA) - O fim de semana foi especial para Alisa Kleybanova, que conquistou o título do ITF americano de US$ 25 mil disputado no piso duro de Lubbock, no Texas. A russa de 28 anos venceu a decisão contra a anfitriã Victoria Duval por 6/0 e 6/2. Em comum entre as finalistas, está o fato de serem sobreviventes ao linfoma de Hodgkin.

As duas jogadoras, que lutaram contra o câncer ao longo dos últimos anos, também venceram o torneio de duplas em Lubock. Jogando juntas pela primeira vez, a russa e a americana venceram quatro jogos na semana e superaram na final a parceria formada pela indiana Karman Kaur Thandi e pela montenegrina Ana Veselinovic por 2/6, 6/4 e 10-8.

Vencedora de dois títulos de WTA em 2010, Kleybanova teve seu melhor momento da carreira no ano seguinte, ao chegar ao top 20 do ranking em fevereiro. Entretanto, ela sofreu com problemas físicos durante a temporada de saibro e anunciou em 15 de julho que sofria do linfoma de Hodgkin e encerrou a temporada.

Depois de disputar só duas partidas em 2012, quando foi convidada pra Miami, Kleybanova retomou a carreira em 2013, quando deu um salto do 549º para o 185º lugar e voltaria ao top 100 em 2014, quando começou a sofrer com problemas crônicos no ombro direito. As lesões a fizeram jogar pouco nos últimos anos. Ela chegou a ficar 14 meses parada antes de voltar às quadras em julho.

O título em Lubbock foi o mais importante de Kleybanova desde o WTA de Seul em 2010. Por conta de todos os problemas que teve, a russa só venceu três torneios ITF de US$ 10 mil. Os 25 pontos obtidos no torneio só entram no ranking da próxima segunda-feira, 2 de outubro, e que a farão sair do atual 629º lugar e saltar em torno de duzentas posições.

História de Duval - Superada por Kleybanova na decisão, Duval aparece atualmente no 340º lugar do ranking e tem como melhor marca a 87ª posição, obtida em agosto de 2014. A jovem norte-americana surpreendeu o mundo no US Open de 2013, quando tinha só 18 anos e era 296ª do ranking quando eliminou a então cabeça 11 e campeã do torneio dois anos antes Samantha Stosur.

Duval recebeu a notícia de que tinha a doença durante o qualificatório de Wimbledon em 2014, mas preferiu continuar no torneio. Após sua participação na grama britânica, Duval retornou aos Estados Unidos para mais testes que confirmaram o diagnóstico. Ela disputou só três torneios em 2015 e quatro no ano passado, antes de retomar a carreira em abril deste ano.

Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis