Notícias | Dia a dia | US Open
Anderson fala em top 10 e sonha com o Finals
11/09/2017 às 13h55

Anderson é o 15º do mundo e o 11º da temporada

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) – Vice-campeão do US Open, o sul-africano Kevin Anderson viu sua surpreendente campanha no último Grand Slam do ano mudar um pouco o seu patamar na temporada. Ele saltou 17 lugares no ranking, se aproximou novamente do top 10, aparecendo no 15º posto, e também colocou de vez seu nome na briga pelo ATP Finals.

“O objetivo é voltar ao top 10, algo que consegui alguns anos atrás. Com o que fiz recentemente eu tenho uma grande chance de conseguir isso. Estou jogando bem e com a confiança em alta”, comentou o sul-africano, que já foi 10 do mundo sete anos atrás.

Anderson também quer brigar por uma inédita classificação para o Finals de Londres. “Com certeza era algo que não estava nos meus planos em meados de março/abril, depois de perder o começo do ano. Consegui ótimos resultados e agora estou na briga, mas vários outros também estão e será uma batalha”, observou.

Realmente o começo de 2017 não foi dos mais promissores para o sul-africano de 2,03 metros, que só foi jogar pela primeira vez no meio de fevereiro e conquistou o primeiro triunfo quase um mês depois, no Masters 1000 de Indian Wells. Mas só depois de alcançar a semi no ATP 250 do Estoril, no começo de maio, as coisas começaram a engrenar.

Questionado sobre seu desempenho na final contra o espanhol Rafael Nadal, o sul-africano se mostrou satisfeito. “Sinto que joguei um tênis bom o suficiente para me dar uma oportunidade em quadra, mas isso não funcionou contra um rival tão gabaritado. É uma emoção e uma experiência que vou levar para as próximas semanas, estou contente por ter feito final”, observou.

“Aprendi muitas lições, foi muito difícil encarar um adversário que já esteve nesta situação mais de 20 vezes. Claro que deveria ter feito melhor em várias coisas, mas saio positivo com o desempenho no geral durante estas semanas”, complementou o atual 11º colocado na corrida da temporada, menos de 300 pontos do oitavo e último a garantir vaga no Finals.

Comentários