Notícias | Dia a dia | US Open
Nadal elogia rivais e só pensa em semi na 5ª feira
06/09/2017 às 22h31

Nadal tirou o resto do dia de folga e inicia a preparação na manhã desta quinta

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Garantido na semifinal do US Open, Rafael Nadal não quer pensar ainda nos dois possíveis adversários que enfrentará em busca da final do Grand Slam americano. O espanhol aguarda a definição do confronto entre Roger Federer e Juan Martin del Potro e está ciente de que terá um jogo duríssimo. Mas por ora, ele fez questão de enaltecer os dois possíveis opontentes e reitera que só iniciará a preparação na quinta-feira pela manhã.

"Estou ansioso por estar na semifinal, acima de qualquer coisa. O resultado já é positivo. Quando você começa um torneio, o que você não quer é perder precocemente, porque você volta para casa com a sensação de que não competiu. Agora, o sentimento é completamente diferente, porque eu já ganhei cinco partidas".

"Sei que vou ter um oponente muito difícil e preciso jogar o meu melhor. Vou aproveitar as poucas horas de folga que tenho e fato de estar em semifinais. Então, acordarei amanhã cedo sabendo que tenho que fazer algo mais, e vou trabalhar duro. Não posso mudar meu adversário. Fico feliz pelo jeito que eu joguei hoje e vamos ver o que acontecerá nesta noite e quem eu enfrentarei nessas semifinais".

Por conta do ineditismo de um duelo contra Federer no US Open, contra quem tem 23 vitórias e 14 derrotas, e da chance de em eventual encontro com o suíço valer a liderança do ranking, Nadal sabe que esse jogo seria especial.

"Se for o Roger, será especial jogar contra ele aqui em Nova York pela primeira vez na carreira. Isso é algo que nunca aconteceu antes, o que é estranho, porque já jogamos algumas vezes em todos os eventos importantes do mundo. Então ficarei muito animado para jogar essa partida, é claro".

Perguntado sobre o que mais admira no suíço, dentro e fora de quadra, Nadal brincou. "Eu não quero parecer que vou namorar com ele (Risos). Bem, nós temos muito respeito um pelo outro. Nós já jogamos muitas vezes e acho que fizemos coisas importantes para o tênis. Nós sempre tivemos um bom relacionamento. E nós jogamos por nossas fundações. Acho que ele sempre foi um grande embaixador para o tênis e para o nosso esporte, com boa imagem e representando bons valores".

Diante da possibilidade de enfrentar Del Potro, contra quem tem oito vitórias e cinco derrotas, o espanhol também teceu elogios. "Juan Martin é um grande jogador. Quando ele está jogando bem, é difícil vencê-lo. O forehand dele é provavelmente o golpe é talvez o mais rápido do circuito".

"É claro que para vencer nesta noite, ele precisa estar sacando bem. Se ele sacar bem e acertar bem o forehand, ele é um jogador que tem a chance de vencer qualquer um", avaliou sobre a partida do argentino contra Federer nas quartas.

"Se eu jogar contra ele, tenho que jogar o meu melhor tênis, preciso estar muito concentrado em meu saque e jogar agressivo, porque se você o deixar jogar de boas posições com seu forehand, você está morto", complementa Nadal, que perdeu no duelo mais recente, válido pelas Olimpíadas do Rio de Janeiro.

A respeito da vitória por 6/1, 6/2 e 6/2 contra o jovem russo Andrey Rublev, Nadal enalteceu o bom desempenho. "Acho que eu joguei bem, variei o ritmo e fui agressivo nas devoluções. É verdade que ele não sacou muito bem hoje. Isso ajuda, é claro. Mas tive muitas oportunidades na devolução e converti. Em termos gerais, estou feliz, pela maneira como joguei hoje".

Comentários