Notícias | Dia a dia
Federer vê evolução e celebra poder igualar Lendl
12/08/2017 às 21h29

Federer tenta igualar os 94 títulos de Lendl

Foto: Divulgação

Montréal (Canadá) - Primeiro a garantir um lugar na final do Masters 1000 de Montréal, que acontecerá neste domingo às 17h (horário de Brasília), o suíço Roger Federer acredita que vem crescendo com o decorrer do torneio. Podendo igualar os 94 títulos do tcheco naturalizado norte-americano Ivan Lendl, ele festejou a possibilidade de alcançar tal marca.

"Lendl é uma lenda do tênis, que foi extremamente consistente e tem recordes incríveis. Ele venceu muitos títulos e é fantástico poder igualar uma marca sua", disse o tenista da Basileia, que caso vença o torneio canadense irá empatar em títulos dom Ledl e ficar atrás apenas dos 109 do norte-americano Jimmy Connors.

"Alcancei coisas que eu jamais imaginaria, venci muitos títulos. Cada um deles que conquisto é uma emoção diferente e é para isso que eu jogo tênis", complementou Federer, que acredita estar melhor a cada dia no torneio. "Fico muito feliz de estar saudável e podendo disputar finais. Acho que minha concentração e o meu jogo estão evoluindo", comentou.

Federer também falou sobre a possibilidade de retomar a liderança do ranking depois de Cincinnati, onde vai brigar com o espanhol Rafael Nadal pela colocação que atualmente é do britânico Andy Murray. "Sempre disse que se você não é o número 1 do mundo, tanto faz em que colocação está no ranking. É uma coisa secundária para mim".

Questionado sobre os possíveis rivais na final, o suíço enalteceu a campanha dos jovens Alexander Zverev e Denis Shapovalov. "Ter um jogador de 18 ou 20 anos em uma final de Masters 1000 não é algo que vemos frequentemente, exceto quando Andy, Novak e Rafa estavam despontando. Vejo grandes jovens surgindo e talvez vejamos isso mais vezes no futuro", declarou Federer.

"Nem mesmo eu cheguei em uma final deste porte com essa idade. Acho que isso é empolgante para o fã de tênis e uma grande oportunidade para esses jovens", encerrou o tenista da Basileia, que foi fazer sua primeira final de Masters 1000 com 20 anos, mesma idade do alemão Zverev, mas dois anos mais velho que o canadense Shapovalov.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis