Notícias | Dia a dia
Zverev volta a superar Anderson e vence 8ª seguida
12/08/2017 às 00h31

Alemão de 20 anos tenta alcançar sua nona final de ATP na carreira

Foto: Divulgação

Montréal (Canadá) - Apenas seis dias depois de duelarem na final em Washington, Alexander Zverev e Kevin Anderson voltaram a se enfrentar nesta sexta-feira pelas quartas se final do Masters 1000 de Montréal. Mais uma vez, Zverev levou a melhor e marcou as parciais de 7/5 e 6/4 em 1h27 de partida.

Esta é a oitava vitória seguida para Zverev, que vem de título na capital americana. O alemão de 20 anos teve a sequência ameaçada em sua estreia em Montréal, quando salvou match point no duelo com Richard Gasquet.

Vencedor de quatro torneios no ano, Zverev está com o melhor ranking da carreira ao ocupar o oitavo lugar. Ele pode ganhar mais uma posição em caso de título em Montréal. Apesar da pouca idade, o alemão pode alcançar sua nona final de ATP da carreira, sendo a segunda em Masters 1000, e a sexta da temporada.

É certo que a final do Masters canadense terá um representante da nova geração. Isso porque o alemão enfrentará o canhoto canadense de 18 anos Denis Shapovalov, sensação do torneio e 143º do mundo, que foi algoz de nomes como Rafael Nadal e Juan Martin Del Potro. O duelo com Shapovalov acontece às 21h (de Brasília) deste sábado.

A última partida das quartas em Montréal começou com atraso de aproximadamente 20 minutos por conta da chuva. Voltaria a chover já nos games finais da partida, mas a intensidade não comprometeu o andamento da disptua e foi possível completar a rodada ainda nesta sexta-feira.

O encontro entre os dois bons sacadores teve uma quebra favorecendo Zverev logo no terceiro game, mas o alemão não sustentou a vantagem permitiu o empate na sequência. O jovem jogador voltaria a quebrar no 11º game e salvou um break point antes de definir o set.

A segunda parcial foi mais tranquila para o alemão, que enfrentou somente um break point e cedeu apena soito pontos nos games de serviço. Novamente, a quebra foi obtida logo cedo, mas desta vez o jogador de 20 anos soube administrar a vantagem construída e foi firme nos games de serviço até o fim do jogo.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis