Notícias | Dia a dia
Sem desmerecer Ferrer, Federer enaltece 'freguês'
11/08/2017 às 08h57

Federer saiu perdendo e teve que buscar a virada

Foto: Divulgação

Montréal (Canadá) - Assim como aconteceu em todas as 17 vezes em que se cruzaram, o suíço Roger Federer levou a melhor para cima do espanhol David Ferrer, que segue sem conseguir uma vitória contra o tenista da Basileia. Mesmo assim ele ganhou elogios do ex-número 1 do mundo, principalmente pelo trabalho que deu em quadra nesta quinta-feira, pelas oitavas do Masters 1000 de Montréal.

"Já derrotei outros jogadores 17 vezes. Alguns deles eu enfrentei umas 30 vezes e em algum momento eles acabam me vencendo, como aconteceu com (Andy) Roddick, (Robin) Soderling e (Fernando) Gonzalez. Por isso eu respeito o placar da partida de hoje", analisou Federer, que nos dois duelos anteriores com Ferrer, ambos em 2014, também precisou de três sets para avançar.

"As duas últimas partidas foram muito duras, foram três apertados sets em Toronto e também em Cincinnati, assim como foi agora. Por isso essas estatísticas são meio ridículas, tenho grande respeito por David, que é uma grande pessoa e um lutador dentro de quadra", comentou o suíço.

"Cada adversário traz um problema diferente. Ele começou muito bem, especialmente nas devoluções de segundo saque. Como eu não estava colocando o primeiro serviço como gostaria, isso acabou me machucando. Não consegui ter ritmo da linha de base, a quadra está bem rápida e David é um cara muito forte, que te dá muito trabalho", completou o atual número 3 do mundo.

Federer disse que aumentar a intensidade e buscar mais os ângulos foram cruciais para virar e alcançar as quartas de final, em que terá pela frente outro espanhol, desta vez Roberto Bautista, outro que precisou de três sets para passar das oitavas. "Nós dois tivemos batalhas para conseguir vencer. Esta vitória me deu confiança e um bom ritmo para enfrentar Bautista, que joga de forma similar a David", finalizou.

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis