Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Melo coroa nº 1 com sonhado troféu de Wimbledon
15/07/2017 às 17h00

Melo voltará ao número 1 na próxima segunda-feira

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - A campanha irretocável do mineiro Marcelo Melo e do polonês Lukasz Kubot na temporada de grama foi coroada neste sábado com a conquista de Wimbledon. Eles enfrentaram na final o croata Mate Pavic e o austríaco Oliver Marach, cabeças de chave 16, que até saíram na frente, mas levaram a virada e caíram com placar final de 5/7, 7/5, 7/6 (7-2), 3/6 e 13/11, após 4h39 de batalha.

Os vencedores vão dividir um cheque de 400 mil libras, aproximadamente R$ 1,7 milhão. Melo tem ainda motivos extras para comemora, o primeiro deles por se tratar de um sonho conseguir triunfar na grama do All England Club, e o outro por reassumir a liderança do ranking com a campanha no torneio. Por sua vez, Kubot alcançará sua melhor marca, indo para a quarta colocação.

Campeões no ATP 250 de ‘s’Hertogenbosch e no ATP 500 de Halle, o mineiro e o polonês terminaram a temporada de grama imbatíveis, somaram 14 vitórias seguidas e se tornaram os primeiros da Era Aberta a conseguir tal feito. 

Melo e Kubot foram um dos campeões de Wimbledon que mais esperaram para vencer o título. O mineiro levou 11 torneios para triunfar, ao passo que polonês precisou de 12 participações até levantar a taça, ficando atrás apenas do canadense Daniel Nestor, que teve que jogar 14 vezes no All England Club até finalmente se sagrar campeão.

Esta é a segunda conquista de ambos em Grand Slam, mas a primeira juntos. Melo foi campeão de Roland Garros em 2015 ao lado do croata Ivan Dodig e Kubot levou o Australian Open de 2014 junto com o sueco Robert Lindstedt.

Assim como aconteceu em três dos cinco jogos na caminhada até a final, a dupla mineiro-polonesa teve que encarar uma partida de cinco sets, algo que não é tão comum em finais de duplas em Wimbledon. Foram apenas quatro decisões nos últimos 20 anos foram tão longe. Quartos pré-classificados, Melo e Kubot saíram atrás e perderam a primeira parcial.

O segundo e o terceiro sets acabaram nas mãos de Melo e Kubot, que tomaram a dianteira do placar, mas não tiveram refresco. A partida seguia equilibradíssima e a quarta parcial ficou com Marach e Pavic, levando assim a decisão para o quinto, que em Wimbledon não tem tiebreak. Tendo a vantagem de sacar primeiro, o mineiro e o polonês aproveitaram para pressionar os rivais e conseguir os dois primeiros set-points, ambos no 14º game, mas o croata acabou se salvando no serviço.

Só que pressão mesmo enfrentaram o polonês e o mineiro, que salvaram triplo break-point sacando em 8/8 e ainda tiveram que encarar uma outra chance de quebra antes de conformar o saque. Com a noite caindo em Londres, o teto foi fechado e as luzes artificiais acesas depois do 22º. Melo fez a sua parte na volta, venceu seu game de serviço, mas Pavic não repetiu o mesmo, foi quebrado e o jogo acabou.

Comentários