Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Cilic tenta quebrar a longa hegemonia do Big 4
15/07/2017 às 13h01

Cilic pode ser segundo croata a ganhar Wimbledon após Ivanisevic

Foto: ATP
José Nilton Dalcim

Assim como fez três anos atrás no US Open, o croata Marin Cilic tentará outro feito em sua carreira e interromper a longa hegemonia do chamado Big 4 em Wimbledon. Desde 2003, o torneio não vê outro campeão que não seja Roger Federer, Rafael Nadal, Novak Djokovic ou Andy Murray.

Cilic se tornou um dos raros jogadores de fora do Big 4 a conquistar um Grand Slam desde 2005, quando surpreendeu o circuito e faturou o US Open de 2014. Nesses 12 anos, somente Stan Wawrinka, que faturou três troféus a partir do Australian Open daquele mesmo ano, e a Juan Martin del Potro, campeão do US Open de 2009, ousaram isso.

Apesar da marca negativa de seis derrotas em sete confrontos diante de Federer, Cilic já bateu o suíço num palco importante, na semifinal do mesmo US Open de 2014, e esteve a um passo da vitória nas quartas de Wimbledon do ano passado, quando venceu os dois primeiros sets e ainda perdeu o tiebreak da quarta parcial por 11-9.

Jogador de 1,98m e 28 anos, tem 17 títulos na carreira e 60 vitórias em 85 jogos já feitos sobre a grama. Ao longo das últimas duas semanas, tem mostrado essa competência. Superou adversários gabaritados no piso, como Philipp Kohlschreiber, Florian Mayer, Gilles Muller e Sam Querrey.

O título também valerá para Cilic o melhor ranking de sua carreira, avançando para o quinto posto e deixando para trás o próprio Federer. E o deixará como croata de maior sucesso, já que Goran Ivanisevic ganhou um Wimbledon e Iva Majoli, um Roland Garros. O campeão fatura também 2,2 milhões de libras, cerca de R$ 9 milhões. A final está marcada para as 10 horas (de Brasília) deste domingo.

Comentários