Notícias | Dia a dia | Wimbledon
De olho na 29ª final de Slam, Federer pega Berdych
13/07/2017 às 15h48

Federer pode se tornar o segundo finalista mais velho na Era Aberta

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - A busca de Roger Federer por sua 29ª final de Grand Slam e 11ª em Wimbledon continua nesta sexta-feira, quando o suíço duela com o tcheco Tomas Berdych pela penúltima fase da competição. O jogo fecha a rodada de semifinais e começa por volta das 11h (de Brasília).

Federer lidera o retrospecto contra Berdych por 18 a 6, além de ter levado a melhor nos últimos sete encontros contra o tcheco. O suíço tem duas vitórias e uma derrota em jogos disputados na grama e também lidera a estatística de duelos em Grand Slam por 6 a 2.

Com 35 anos e 242 dias na data da final do torneio, Federer pode se tornar o segundo finalista mais velho em Wimbledon na Era Aberta. O recorde pertence a Ken Rosewall, que foi vice-campeão na edição de 1974 com 39 anos e 246 dias. Apenas seis vezes um jogador mais velho que Federer disputou uma final de Grand Slam na Era Aberta, mas cinco dessas marcas pertencem a Rosewall.

Recordista em finais de Wimbledon e de Grand Slam em todos os tempos, o suíço pode ampliar sua disância. Ele já tem seis decisões de Major a mais que Rafael Nadal e sete a mais que Novak Djokovic. Na grama do All England Club, onde Federer jogará sua 12ª semifinal e já decidiu o torneio em dez ocasiões, os nomes mais próximos já estão aposentados: Pete Sampras, Boris Becker e Arthur Gore têm sete, enquanto Bjorn Borg, Rod Laver e Jimmy Connors jogaram seis.

Adversário do suíço na semifinal, Berdych já foi vice-camepeão em 2010 e é um dos quatro tchecos a ter disputado uma final de Grand Slam. Ele tenta se tornar o segundo homem de seu país a estar em quadra em duas finais de Wimbledon, repetindo a marca de Ivan Lendl em 1986 e 1987. Entretanto o campeão masculino para a República Tcheca foi Jan Kodes, vencedor do torneio em 1973. Uma vitória nesta sexta-feira também o fará igualar o número de finais de Slam de Petr Korda.

Comentários