Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Murray mantém nº 1 até o Masters de Montréal
13/07/2017 às 09h52

Espanhol estará em luta direta com Murray no Canadá

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - A batalha pela liderança do ranking acabou mais cedo do que se esperava em Wimbledon com as derrotas de Rafael Nadal nas oitavas de final e de Andy Murray e Novak Djokovic nas quartas. Com isso, o escocês se manterá na ponta do ranking por mais um mês.

Nadal agora terá chance de tirar o escocês da ponta durante o Masters de Montréal, o primeiro em que os dois estão programados para atuar na fase da quadra sintética. Murray chegará com vantagem de apenas 285 pontos e assim o espanhol recuperará a ponta caso seja campeão, atinja a final e o escocês perca antes da semi ou se for à semi e Murray não passar da estreia.

Parece muito difícil que Murray consiga evitar a perda do posto. Na semana seguinte, em Cincinnati, ele defenderá 600 pontos do vice-campeonato e depois serão mais 360 pontos no US Open. Nesses dois torneios, Nadal somará tudo o que fizer. Até o final da temporada, o britânico tem nada a menos do que 5.460 pontos a repetir.

Djokovic, que poderia recuperar o número 1 com o título em Wimbledon, terá dificuldade para entrar nessa briga nos torneios americanos, já que defende o título no Canadá e o vice no US Open, podendo somar apenas em Cincinnati. Ele ficou mais de 1.000 pontos atrás de Nadal após Wimbledon e tem 3.740 somados no segundo semestre do ano passado.

Outro que não tem pontos a defender após Wimbledon, Federer pode entrar na briga com Nadal caso confirme a conquista no All England Club. Isso o levaria para 6.545 pontos, superando imediatamente Djokovic. A diferença para a ponta estaria em 1.205 pontos, abrindo chance de luta em Cincinnati ou mais provavelmente no US Open.

Ao olharmos apenas os pontos somados por cada tenista desde janeiro, fica claro que Nadal e Federer poderão ter uma luta direta pelo número 1 a partir de Nova York. O espanhol tem 7.095 acumulados contra 5.265 de Federer, que pode ir a 6.545 em caso de título em Wimbledon. O terceiro colocado é Dominic Thiem, a distantes 3.345 pontos, seguido por Stan Wawrinka, com 3.150. No momento Djokovic é o sexto, com 2.585, e Murray aparece em oitavo, com 2.290.

Por isso, vale lembrar que Nadal e Federer pontuaram o ranking por seis anos consecutivos, entre 2005 e 2010.

Comentários