Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Aos 28 anos, Rybarikova alcança 1ª semi de Slam
11/07/2017 às 16h25

Rybarikova venceu 18 dos 19 jogos que fez na grama este ano

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Terceira jogadora mais velha nas quartas de final de Wimbledon, Magdalena Rybarikova alcança sua primeira semifinal de Grand Slam aos 28 anos. A eslovaca fez um grande resultado na grama de Wimbledon ao derrotar a norte-americana CoCo Vandeweghe por duplo 6/3.

Por conta da chuva em Londres e da impossibilidade de realizar jogos nas quadras externas pelo restante do dia, a organização do torneio promoveu uma rara mudança de arena. A partida foi iniciada na Quadra Número 1 e teve os últimos cinco games disputados sob teto fechado na Quadra Central.

Rybarikova confirma seu bom momento na grama. A jogadora de 28 anos venceu 18 dos 19 jogos que fez no piso este ano, com títulos nos ITF de Surbiton e Ilkley e semifinal no WTA de Nottingham.

Algoz de Karolina Pliskova na segunda rodada, Rybarikova encara a espanhola Garbiñe Muguruza. Ainda que o retrospecto esteja empatado por 2 a 2, a eslovaca tem a favor o fato de ter vencido na grama de Birmingham há dois anos.

Atual 87ª do ranking, Rybarikova está garantindo 780 pontos com a campanha até a semifinal, já que caiu ainda na estreia no ano passado. O resultado já a coloca no 33º lugar, a duas posições de igualar a melhor marca da carreira, alcançada em agosto de 2013. Uma vitória a mais a colocaria entre as 20 melhores do mundo.

A eslovaca terminou o jogo com oito winners e oito erros não-forçados, enquanto Vandeweghe anotou 17 bolas vencedoras, mas deu trinta pontos de graça. No set inicial, Rybarikova sequer enfrentou break points, cedeu só cinco pontos no saque e quebrou duas vezes.

O segundo set estava empatado por 2/2 quando o jogo foi interrompido por chuva. Na volta, Vandeweghe fez duas duplas-faltas seguidas e foi quebrada e permitiu que a rival vencesse três games seguidos. A americana salvou três match points no saque, mas não evitou a derrota no game seguinte.

Comentários