Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Soares e Murray perdem match point e se despedem
05/06/2017 às 14h15

Soares e Murray chegaram a sacar para o jogo no segundo set

Foto: Divulgação

Paris (França) - O sonho do título inédito de Roland Garros para Bruno Soares foi adiado nesta segunda-feira após a eliminação nas quartas de final em Paris. Soares e o britânico Jamie Murray perderam para o americano Donald Young e o mexicano Santiago Gonzalez por 3/6, 7/6 (7-3) e 7/6 (7-4) em 2h19 de partida.

Soares tentava sua terceira semifinal de Roland Garros. A primeira foi em 2008, seu ano de estreia em Paris, ao lado do sérvio Dusan Vemic. Ele voltou à penúltima rodada há três anos ao lado do austríaco Alexander Peya.

González e Young podem ser os adversários na semi do paulista Rogério Dutra Silva e do italiano Paolo Lorenzi, que atuam pelas quartas contra o espanhol Fernando Verdasco e o sérvio Nenad Zimonjic.

O começo de partida foi muito favorável para Soares e Murray, que quebraram duas vezes seguidas e chegaram a liderar o primeiro set por 5/1. Mesmo perdendo um game de serviço, o mineiro e o britânico conseguiram aproveitar a boa vantagem estabelecida.

González e Young salvaram dois break points na abertura do segundo set, mas perderam o saque no sétimo game. Jamie Murray teve a oportunidade de sacar para o jogo, teve um match point em seu serviço, mas sofreu a quebra em uma dupla-falta. O britânico também perdeu dois dos três games jogados em seu saque durante o tiebreak que definiu a parcial.

O último set teve González e Young escapando da quebra em dois games de serviço consecutivos. Já com o placar empatado por 3/3, Soares precisou de ótimos saques para salvar três break points. O mineiro ainda enfrentou outra oportunidade quatro games mais tarde.

Em novo tiebreak, os sacadores vinham dominando. González, que foi quem mais perdia chances durante o terceiro set, encaixou uma ótima devolução contra Jamie Murray para conseguir uma vantagem. O jogo ficou nas mãos de Young, que sacou muito bem para definir a vitória.

Comentários