Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Muguruza encara o difícil desafio do bi
28/05/2017 às 08h45

Muguruza pode deixar o top 10 em caso de resultado ruim

Foto: Site oficial

Paris (França) - Há exatos 10 anos nenhuma tenista consegue repetir seu título em Roland Garros. Essa será a dura missão da espanhola Garbine Muguruza, que ainda por cima parece ter perdido o embalo na carreira depois de ter erguido a Copa Suzanne Lenglen no ano passado.

Aos 23 anos, Muguruza não ganhou um único título no circuito desde a conquista do saibro francês 50 semanas atrás. E admite que será diferente entrar como a campeã vigente. "Vai ser algo mais emocional, mas encaro como algo normal. Me considero apenas mais uma jogadora na chave, estou tranquila".

Curiosamente, ela presidiu a cerimônia de sorteio da chave ao lado de Novak Djokovic, na condição de atuais campeões, mas seguiu os passos do sérvio e não ficou para ver a chave. "Não quisemos olhar", conta. A última tenista a repetir o título em Paris foi Justine Henin, tricampeã entre 2005 e 2007.

Sua primeira adversária será outra campeã, a agora veterana Francesca Schiavone, vencedora em 2010. "Será um jogo interessante. É um tanto estranho termos um jogo de duas campeãs logo na primeira rodada. Ela está bem no saibro, mas realmente a mim não importa muito quem será a adversária. Preciso ver como consigo jogar, como vou me sentir no torneio. Estou ansiosa".

Muguruza acredita que a ausência de Serena Williams abre chance para qualquer jogadora. "Serena tem estado sempre nas rodadas finais de Roland Garros, então faz uma diferença e tanto não tê-la aqui. Acho que existem 10 ou 15 meninas que podem ganhar o torneio. Isso não é normal".

Numa temporada em que encarou contusão no tendão de Aquiles e um mal estar em Miami, Muguruza não brilhou sequer no saibro europeu, tendo perdido cedo em Stuttgart e Madri e só jogado melhor em Roma, onde então sentiu um problema no pescoço que ainda a incomoda. Caso seja surpreendida por Schiavone, poderá até deixar o top 10 pela priemira vez em dois anos.

Comentários