Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Bia aposta no ritmo de jogo para surpreender
26/05/2017 às 17h57

Bia vem de oito vitórias seguidas e venceu 13 dos últimos 14 jogos que fez

Foto: Arquivo

Paris (França) - Depois de furar o quali de Roland Garros e garantir vaga no primeiro Grand Slam de sua carreira, Beatriz Haddad Maia aposta no ritmo de jogo adquirido após três jogos durante a semana para surpreender a russa Elena Vesnina, número 15 do mundo e primeira adversária na chave principal.

"Sei que ela é muito experiente e que com certeza, será mais um jogo duro, mas vou tentar manter o meu padrão e jogar com atitude", disse Bia Haddad Maia que busca a vitória mais expressiva de sua carreira.

"É sempre bom vir do quali, porque normalmente você vem com mais ritmo", avaliou a canhota paulista que disputou um quali de Grand Slam pela quinta vez na carreira e conseguiu passar pelas três rodadas pela primeira vez.

"Em um torneio como esse, a primeira rodada é sempre complicada, mas para mim já vai ser a quarta rodada. Vou estar com bom ritmo, eu já venho de muitas partidas, então tenho certeza que vai ser uma boa semana ainda", avaliou a jogadora que vem de oito vitórias seguidas e venceu treze dos últimos 14 jogos que fez.

A número 1 do Brasil e 101ª do ranking se emociona com a possibilidade de jogar um Grand Slam com apenas 20 anos. "Roland Garros é muito especial e sempre foi um sonho para mim. Já venho trabalhando há muito tempo para que isso acontecesse".

"Sempre acreditei que pudesse estar entre as melhores e jogar contra qualquer uma", comentou a paulista que há três semana derrotou a 19ª do ranking Samantha Stosur no WTA de Praga, onde chegou às quartas de final.

"Fiz jogos muito duros há duas semanas, vim ganhando confiança no meu jogo e acreditando cada vez mais em mim e no meu físico. Tudo o que está acontecendo é resultado de muito trabalho", avalia a jovem tenista que entrou no top 100 após o título no ITF de US$ 100 mil no saibro francês de Cagnes-Sur-Mer, há 12 dias.

Bia também avaliou seu desempenho na vitória por 6/2 e 7/6 (8-6) sobre a suíça Jil Teichmann na rodada final do quali. "Desde o início tentei ser o máximo agressiva e pegar a bola na subida, mas estava ventando muito e as condições estavam difíceis. Nós duas estávamos nervosas, poruqe querendo ou não uma final de quali mexe bastante com a gente, então estou muito feliz por ter saído com a vitória".

Comentários