Notícias | Dia a dia | Roland Garros
Kvitova se emociona com retorno: 'Sonho realizado'
26/05/2017 às 17h06

Kvitova disputa seu primeiro torneio no ano e estreia contra americana

Foto: Divulgação

Paris (França) - A tcheca Petra Kvitova foi a atração desta sexta-feira durante as conversas com os jornalistas em Roland Garros. A ex-número 2 do mundo confirmou sua presença no Grand Slam francês, que será seu primeiro torneio na temporada.

Kvitova teve graves ferimentos por faca na mão esquerda durante um assalto em sua casa, na cidade de Prostejov, em 20 de dezembro do ano passado.

A tenista foi submetida a uma cirurgia de emergência e a previsão dos médicos era de que ela ficaria seis meses sem jogar. A volta aos treinos foi no dia 2 de maio. Antes disso, ainda em abril, ela anunciou que não iria retirar seu nome da lista de inscritas para Roland Garros para decidir de última se jogaria ou não na França.

"Eu sabia que esse dia chegaria", disse a emocionada Kvitova nesta sexta-feira. "Estou realmente feliz porque meu sonho se tornou realidade. Não foram meses fáceis, mas estou feliz por ter trabalhado tanto, por poder jogar tênis e estar na chave".

"Poucas pessoas acreditavam que eu poderia jogar tênis novamente. Então eu já ganhei minha maior luta e gosto de desafios", revelou a atual 16ª do ranking e que estreará contra a americana Julia Boserup no próximo domingo, em horário a definir.

"Senti que o tênis havia sido tirado de mim, porque não foi minha decisão. De repente, eu não poderia fazer o que mais amo. Mas eu sobrevivi e tenho todos os meus dedos e posso jogar tênis e estar aqui", comentou a canhota de 27 anos.

"Tenho sorte de ser uma pessoa de pensamento positivo. Minha mão ainda não está perfeitamente pronta. Ainda não consigo imprimir força e poder nos golpes, mas estou trabalhando nisso e tenho que esperar para ver como as coisas vão acontecer", avalia a bicampeã de Wimbledon e que foi semifinalista de Roland Garros em 2012.

"Espero que um dia tudo esteja perfeito novamente, mas estou feliz por voltar a jogar e porque não sinto mais dor em minha mão quando estou jogando. Eu não a testei em uma partida oficial, naturalmente. Talvez vai ser diferente, também por conta do nervosismo, mas até agora está tudo bem".

Comentários