Notícias | Dia a dia
Sharapova critica a ITF em seu caso de doping
14/04/2017 às 09h59

Sharapova voltará ás quadras em menos de 2 semanas

Foto: Arquivo

Londres (Inglaterra) - Mais uma vez a russa Maria Sharapova criticou a Federação Internacional de Tênis (ITF) em seu caso de doping. Em entrevista ao jornal britânico The Times, a ex-número 1 do mundo disse que a entidade falhou na maneira escolhida para informar os atletas, embora admita que ela também tenha sua parcela de culpa.

"Por que alguém não veio a mim para ter uma conversa? Apenas de um representante oficial para uma atleta, que teria cuidado da confidencialidade. Claro que em última instância a culpa é minha, mas eu estava sendo aprovada em tudo que tomava nos últimos sete anos", afirmou Sharapova, que foi pega com meldonium em exame realizado no Australian Open de 2016. 

A russa foi punida com uma suspensão de dois anos, mas depois recorreu à Corte Arbitral do Esporte (CAS) e conseguiu reduzir a pena para 15 meses. Novamente ela explicou que tomada o medicamento há muito tempo e que o objetivo não era ter ganho de desempenho em quadra.

"Estava gripada e resfriada e isso afetou meu organismo. Então fui procurar um médico em Moscou que me deu 10 suplementos e um deles era o Mildronato (nome comercial de meldonium)", afirmou a russa de 30 anos, que voltará ao circuito em menos de duas semanas, no Premier de Stuttgart. 

Um comunicado divulgado pela ITF reforçou que a entidade sempre divulgou as substâncias que seria proibidas e disse que não sabia que o meldonium estava sendo amplamente usado na Europa Oriental. "Foi aceito pela Srta. Sharapova na audiência no CAS que a ITF não sabia, antes de 2016, que atletas de qualquer região usavam meldonium ou que a própria Srta. Sharapova usava meldonium".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis