Notícias | Copa Davis
Kyrgios cumpre trabalho e coloca Austrália na semi
09/04/2017 às 09h27

Time australiano cumprimenta Kyrgios depois da nova vitória

Foto: Site oficial

Brisbane (Austrália) - Novamente sem perder sets, Nick Kyrgios cumpriu sua tarefa do fim de semana e deu o ponto decisivo para a Austrália avançar às semifinais da Copa Davis no duelo diante dos Estados Unidos. Em grande momento da carreira, ele superou Sam Querrey, para quem havia perdido dias atrás em Acapulco, com parciais de 7/6 (7-4), 6/3 e 6/4.

"Foi um terceiro set duríssimo, e então as emoções explodiram", afirmou Kyrgios, que perdia essa parcial por 6/4, conseguiu notável reação, fechou com ace e levou a arena Pat Rafter à loucura. O número 1 local já havia dado o ponto de simples na sexta-feira ao superar John Isner. Batido inesperadamente por Jordan Thompson, Jack Sock foi substituído por Jim Courier no domingo.

"Não poderia estar mais orgulhoso dos meus garotos"< afirmou o grande herói da Davis australiana Lleyton Hewitt, que pelo segundo ano consecutivo funciona como capitão do time. "Eles trabalharam com muito esforço nesta campanha e fizeram absolutamente tudo o que eu pedi a eles. Foram muito sacrifícios de todo o grupo", ressaltou.

Assim como no primeiro dia, Kyrgios mostrou grande poder de reação. Fez duas duplas faltas no primeiro game de serviço e Querrey saltou para 3/0. Depois, salvou um set-point na hora do 5/6 disparando um ace a 220 km/h. No terceiro set, também mostrou grande atitude ao virar o placar com empenho na defesa. "Estava ansioso por este confronto".

O capitão norte-americano Jim Courier elogiou o fim de semana de Kyrgios. "Ele manteve os jogos em suas mãos. Concentrado, focado e persistente, ele pode e deverá estar no top 5 do ranking no final da temporada", previu. Os EUA não conseguem uma virada depois de perder os dois primeiros jogos de um duelo na Davis desde 1934. Isner venceu Sam Groth por 7/6 e 6/3 no quinto jogo.

Em sua segunda semifinal em três anos, a Austrália aguarda o vencedor de Bélgica e Itália e torcem pelos visitantes, já que o eventual duelo contra os belgas será fora. Se der Itália, os australianos terão mando de jogo.

Comentários