Notícias | Dia a dia
De volta à Tunísia, Carol lembra de títulos e lesão
20/03/2017 às 18h37

Depois de iniciar a temporada jogando em Curitiba e São Paulo, Carol voltou à Tunísia, onde conseguiu seus principais resultados

Foto: Eric Visintainer
por Mário Sérgio Cruz

Depois de comemorar seus dois primeiros títulos de simples no fim do ano passado no saibro tunisiano de Hammamet, Carolina Meligeni Alves retornou na última semana ao palco de seus principais resultados e já fez uma semifinal. Em entrevista ao TenisBrasil, a jogadora de 20 anos comentou sobre a série treze semanas na Tunísia, onde teve de tratar de uma lesão nas costas que limitou seus movimentos por dez dias, e da confiança que os bons resultados trazem para a nova temporada.

"Na segunda semana, eu travei as costas e fiquei dez dias sem jogar. Eu fiquei por lá mesmo porque não pude andar direito e não conseguia pegar voo para voltar", disse Carol Meligeni, durante sua participação no Circuito Feminino Future, em São Paulo. "Fiz ressonância e deu um princípio de hérnia, mas não fiz mais exames depois daquilo, porque melhorei muito rápido. Meu fisioterapeuta disse que no ápice da dor, vai aparecer tudo possível na ressonância porque está inflamado e não dá para saber. O importante é que estou bem agora".

"Depois da lesão, eu mudei muito minha forma de pensar e comecei a competir muito melhor. Isso me fez ganhar de jogadoras com ranking muito melhor que o meu. Não vinha de bons resultados no ano passado e a gira da Tunísia foi realmente um divisor de águas. Ganhar meus primeiros títulos depois de tudo isso deu bastante confiança e me fez subir no ranking", comentou a jogadora que está com o melhor ranking da carreira, em 442º lugar e é a quinta melhor do país".

Grande parte de sua formação como tenista se deu no Uruguai, onde passou quatro anos treinando na academia de Enrique "Bebe" Pérez. "Eu fui bem nova para o Uruguai para fazer uma pré-temporada lá com o último treinador do meu tio, o Bebe Perez. Amadureci muito física e mentalmente, já conhecia o idioma, mas a cultura e a metodologia são muito diferentes. Tenho que agradecer muito ao Bebe, que mudou totalmente meu saque e minha direita".

Atualmente ela treina com Leandro Afini, em São José dos Campos. Mais próxima de São Paulo, ela também consegue agendar trabalhos com o tio, Fernando Meligeni. "Quando achei que era hora de mudar, vim há um ano e meio para o Brasil treinar no mesmo lugar que meu irmão [Felipe] e está sendo uma experiência boa", avaliou. "E sempre que estou no Brasil, e perto de São Paulo, faço um treino com o meu tio. É incrível ter uma pessoa da sua família que foi o que ele foi e poder te passar toda a experiência e falar o que você está errando. Ele não é técnico, mas me ajuda muito no lado motivacional e enquanto eu estava na Tunísia ele me ajudou demais".

Depois de uma boa semana em Hammemet, ela fará mais um torneio na Tunísia antes de partir para o saibro italiano já pensando em competições maiores. "Dependendo de como estiver fisicamente e mentalmente, tentarei ficar mais algumas semanas para me inscrever em alguns WTA e ver se entro no quali", avaliou a jovem jogadora.

"É hora de aproveitar meu ranking atual e que não tenho muitos pontos a defender no começo do ano para me atrever em torneios maiores e jogar com meninas melhores, porque é isso que vai me fazer subir de nível. Quando você está em um torneio maior que os que você está acostumada a jogar normalmente, você tem que jogar contra as melhores e ver o que elas fazem de diferente".

Comentários
Raquete novo
Mundo Tênis