Notícias | Dia a dia | Australian Open
Federer destaca luta até o fim para levar quinto set
29/01/2017 às 18h05

Federer levantou seu 18º troféu de Grand Slam

Foto: Ben Solomon/Tennis Australia

Melbourne (Austrália) - O suíço Roger Federer saiu da final do Australian Open com o título, liderou o placar pela maior parte do jogo, mas se viu em maus lençóis no começo do quinto set, quando o espanhol Rafael Nadal conseguiu uma quebra prematura e chegou a abrir 3/1. Foi então que o tenista da Basileia conseguiu uma ótima arrancada, venceu cinco games seguidos e ficou com a vitória.

"Tive minhas oportunidades no começo do quinto set também. Poderia ter ficado desapontado e desistido, mas lutei até o final, acreditando no que fiz durante todo o jogo e que ainda havia uma possibilidade de vencê-lo. Isso me fez jogar meu melhor tênis no fim da partida, o que até me surpreendeu um pouco", afirmou o dono de agora 18 taças de Grand Slam. 

Federer também destacou como importante a estratégia de se soltar mais em quadra. "Disse a mim mesmo para jogar solto. Discuti isso com Ivan (Ljubicic) e Severin (Luthi) antes da partida. Focar mais na bola e não no adversário, ficar livre para escolher os golpes e ir para eles", explicou o suíço, que voltou a bater Nadal em um Slam após quase 10 anos.

Ao falar sobre o clássico com o espanhol, o terceiro que mais se repetiu nos quatro principais torneios do circuito, Federer fez questão de mostrar a importância que Nadal teve em sua carreira, mas sem se esquecer de outros duelos que também foram importantes em sua vida, entre eles os com o sérvio Novak Djokovic, embate que mais se repetiu na história dos Slam. 

"Novak também tem sido um dos meus maiores rivais, assim como foram Roddick e Hewitt, mas Rafa definitivamente tem um lugar especial na minha carreira. Acho que ele me fez um jogador melhor por causa da maneira como joga, é sempre um grande desafio enfrentá-lo", observou o suíço, que encarou Djokovic 15 vezes nos Slam e 12 com Nadal.

Comentários