Notícias | Dia a dia | US Open
Del Potro agradece carinho dos fãs em Nova York
08/09/2016 às 11h23

Del Potro ficou comovido com o carinho do público do Arthur Ashe Stadium

Foto: Divulgação

Nova York (EUA) - Apesar de ter sido derrotado pelo suíço Stan Wawrinka nas quartas de final do US Open, foi o argentino Juan Martin del Potro o mais ovacionado ao final da partida desta quarta-feira à noite. Campeão do torneio em 2009, ele agradeceu o carinho do público e disse que o momento ficará guardado na memória.

"É algo difícil de descrever com palavras. Posso ter perdido o jogo, mas nunca vou me esquecer deste momento. Foi maior do que vencer qualquer partida. Estou orgulhoso de ter recebido esse apoio do público, pois tenho me esforçado bastante para jogar tênis", afirmou o argentino, que caiu com parciais de 7/6 (7-5), 4/6, 6/3 e 6/2, em 3h12 de partida. 

Delpo lamentou apenas não estar com o físico que precisa para derrubar jogadores do calibre de Wawrinka. "Acho que meu tênis está começando a responder o que quero fazer, mas fisicamente ainda estou abaixo. Ainda não estou no mesmo nível destes caras e preciso seguir saudável durante a pré-temporada para chegar 100% no próximo ano", analisou.

"Voltei a jogar depois de um longo tempo. Dois meses atrás, estava perdendo na primeira ou na segunda rodada. Agora disputo com esses caras do topo de igual para igual, já bati (Novak) Djokovic e Rafa (Nadal). Tenho que continuar trabalhando, preciso melhorar meu físico o mais rápido possível para ter chance de enfrentar esses caras nas mesmas condições", completou. 

Ao comentar sobre o duelo com Wawrinka, ele disse que o suíço soube minar seu físico no decorrer da partia. "Ele foi mais inteligente do que eu no final, jogando seus backhands nas linhas e com muitos slices. Ele me fez correr bastante e fiquei exausto após o terceiro set", observou o atual 142 do mundo, que voltará ao top 100 depois de sua campanha no US Open.

Sobre a sequência da temporada, Del Potro quer se recuperar para a Copa Davis e ainda estuda a sequência do calendário. "Agora, tenho que tentar me recuperar para estar 100% em Glasgow. Não esperava jogar tantas partidas aqui e agora vou ter que pensar bem o que vou disputar. Gostaria muito de ir à Ásia e depois jogar nos torneios cobertos. Não tenho pressão por ranking, meu objetivo é ficar saudável e trabalhar no meu físico", encerrou o argentino.

Comentários