Notícias | Dia a dia | Wimbledon
Após 1ª final, Raonic quer melhorar em tudo
10/07/2016 às 16h56

Canadense espera ter novas oportunidades em finais de Grand Slam

Foto: Divulgação

Londres (Inglaterra) - Superado por Andy Murray em três sets na disputa de sua primeira final de Grand Slam na carreira, Milos Raonic só pensa em evoluir para voltar a ter essa oportunidade mais vezes na carreira. O canadense de 25 anos tem dois treinadores de peso, Riccardo Piatti e Carlos Moyá e ainda contou com a colaboração de John McEnroe em Wimbledon.

"Vou trabalhar em tudo para tentar ficar mais preparado e mais forte", disse Raonic após a derrota para Murray por 6/4, 7/6 (7-3) e 7/6 (7-2). "Vou tentar melhorar meu saque, minhas devoluções e minha eficiência vindo para a frente. Não há uma coisa que eu não vá tentar melhorar".

Raonic encara de maneira positiva a derrota sofrida neste domingo, sem deixar de lado a autocrítica sobre o nervosismo nos pontos mais importantes. "A única coisa que eu poderia lamentar seria se eu não fizesse tudo o que é possível para voltar a esta posição novamente".

"Eu provavelmente fui um pouco passivo no começo da partida nos games de saque dele", avaliou o canadense que só teve dois break points no jogo, já no terceiro set, e não conseguiu quebrar o saque do britânico nenhuma vez.

"Eu conseguia ficar no jogo com ele, mas quando realmente importava, eu não fui capaz de passar à frente. Ficar nervoso faz parte do jogo, mas o meu nervosismo não é diferentes do dele", completou o sétimo do ranking, que permitiu que Murray abrisse boa vantagem no início dos dois tiebreaks.

A respeito das 74 tentativas de subir à rede no jogo, com 46 pontos vencidos, Raonic justificou a escolha devido ao sólido jogo de fundo do britânico, que só cometeu 12 erros não forçados. "Tentei vir para a frente e colocar pressão, porque ele estava jogando muito melhor do que eu do fundo de quadra", avaliou. "Fiz o melhor que pude".

Comentários