fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Petra Kvitova, Serena Williams, Svetlana Kuznetsova Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Petra Kvitova, Serena Williams, Svetlana Kuznetsova Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Petra Kvitova, Serena Williams, Svetlana Kuznetsova tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/kvitova/0508_madri_devolve_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/kvitova/0508_madri_devolve_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia
Kvitova comemora jogo agressivo contra Serena
08/05/2015 às 14h35
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/kvitova/0508_madri_devolve_int.jpg" title="Kvitova agrediu bastante o segundo saque de Serena" />

Kvitova agrediu bastante o segundo saque de Serena

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Madri (Espanha) - Responsável por quebrar a longa invencibilidade de 27 jogos de Serena Williams, Petra Kvitova tenta enunciar as razões que a fizeram dominar a partida e marcar um contundente placar de 6/2 e 6/3 em 1h13 de disputa pelas semifinais do Premier de Madri. Na opinião da canhota tcheca, número 4 do mundo, o estilo agressivo e a pressão no segundo serviço da americana fizeram a diferença.

"Eu sabia que teria que ser agressiva desde o primeiro ponto, não importava se no saque ou na devolução", disse Kvitova em entrevista após a partida. "No segundo saque eu conseguia atacá-la muito rápido e acho que isso foi ponto chave, ser agressiva antes dela", acrescetnou a tcheca, que conseguiu seis quebras a seu favor.

Serena sequer conseguiu vencer a maioria dos pontos em seu saque. Ela teve aproveitamento de 46% (36 em 78 disputados). Considerando apenas o segundo serviço, o índice cai para apenas 29% (10 em 35 disputados). Assim, Kvitova conseguiu mandar nos pontos e liderar a contagem de winners por 25 a 17, além de ser mais consistente ao cometer 14 erros não-forçados contra 29 da número 1 do mundo.

"Estou muito feliz por derrotá-la pela primeira vez, é claro", disse Kvitova, que só havia vencido um set contra Serena até então. "Tive a oportunidade antes e não consegui, então muito feliz por ter conseguido hoje. Especialmente por ser em um torneio grande", acrescentou a jogadora de 25 anos, que já foi campeã em Madri em 2011.

Antes do jogo com Kvitova, Serena hostentava números incríveis. Eram 27 vitórias seguidas, sendo todos os 24 jogos no ano. Em torneios Premier obrigatórios, a número 1 havia vencido suas últimas 50 partidas, além de 19 vitórias seguidas em Madri, onde fora campeã em 2012 e 2013 e dado w.o. nas quartas do ano passado.

"Eu sabia que ela tinha uma grande invencibilidade, mas que um dia iria parar em alguém. Estou feliz que tenha sido comigo. Mas não posso comemorar muito, porque tenho a final amanhã", comentou a tcheca, que enfrenta neste sábado às 12h30 a russa Svetlana Kuznetsova, 29ª colocada.

"Acho que no saibro ela é uma jogadora diferente, muito mais confiante, e sabe muito bem jogar nesse piso", disse a respeito da rival, campeã de Roland Garros em 20009. "Não tenho muita certeza sobre ser favorita, eu perdi para ela em Paris no ano passado, mas farei meu melhor e preciso de uma revanche".

O histórico entre Kvitova e Kuznetsova é de apenas quatro partidas. A tcheca venceu as três primeiras, sempre em quadras mais rápida. O último encontro é o citado na entrevista, válido pela terceira rodada de Roland Garros no ano passado, quando a russa triunfou com 9/7 no último set.

Últimas notícias
Comentários
Loja TenisBrasil
Mundo Tênis
ProSpin
Wilson
Raquete Mania
Paulistana