fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Serena Williams, Maria Sharapova, Madison Keys, Australian Open, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Serena Williams, Maria Sharapova, Madison Keys, Australian Open, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Serena Williams, Maria Sharapova, Madison Keys, Australian Open, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/serena/0129_ausopen_comkeys_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/serena/0129_ausopen_comkeys_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Serena minimiza retrospecto: 'Será um novo jogo'
29/01/2015 às 12h17
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/serena/0129_ausopen_comkeys_int.jpg" title="Serena passou por Keys em sets diretos na semifinal" />

Serena passou por Keys em sets diretos na semifinal

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - Serena Williams vai para a final do Australian Open com um retrospecto bastante positivo contra a russa Maria Sharapova. As duas já se enfrentaram 18 vezes e a norte-americana só perdeu duas vezes, sendo a última delas no que era o WTA Finals de 2004. Desde então, ela venceu a siberiana 15 vezes seguidas, mas este histórico não deixa a número 1 do mundo tranquila para a decisão.

“Maria está jogando demais, está no torneio porque é uma lutadora e se recusa a perder. Será um jogo novo. Ela é uma incrível jogadora desta era, muito consistente e que sempre quer melhorar”, avaliou a caçula das irmãs Williams. “Tenho muito orgulho do histórico, mas não é algo que pare para pesar muito. Adoro jogar contra ela, amo sua intensidade, é um dos melhores momentos da minha vida”, acrescentou.

Dona de 18 títulos de Grand Slam, a número 1 do mundo poderá ultrapassar as lendas Chris Evert e Martina Navratilova, se levantar sus sexta taça em Melbourne, ficando a apenas três de igualar Steffi Graf em número de conquistas nos quatro principais torneios do circuito. Porém, Serena revelou que precisou mudar a mentalidade para voltar a triunfar nos Slam.

“Estava tão empolgada em chegar aos 18 títulos que acabei perdendo cedo nos Grand Slam, no ano passado. Não fiz sequer quartas de final até Wimbledon e por isso decidir não me importar muito mais. E isso tem funcionado”, declarou a norte-americana, que chegou ao Australian Open desconfiada do que poderia fazer, mesmo tendo terminado 2014 com os títulos do US Open e do WTA Finals.

“Achava que não estava me movimentando bem, não estava me sentindo bem em quadra e fazia tempo que não ia para a final aqui. Minha teoria agora é ficar relaxada e jogar a partida da melhor maneira possível. Quando entro em quadra, não preciso ganhar, quero apenas relaxar e me divertir”, declarou a mais nova das Williams.

Sobre o duelo contra Sharapova, a norte-americana sabe bem qual a estratégia que precisa adotar para buscar um novo triunfo para cima da musa siberiana. “Vai ser importante ter um bom começo, pois vai ser uma batalha. Ela vai querer jogar muito bem e vencer essa”, avaliou Serena, que vem se recuperando nos últimos dias de um resfriado. “Estou melhor, bem melhor do que ontem. Cada dia que passa eu evoluo”.

A líder do ranking também analisou a compatriota Madison Keys, sua vítima na semifinal desta quinta-feira. “Me impressionou sua capacidade de se manter no jogo. Ela nunca desiste, fica tentando até o fim. Acho que essa é uma grande qualidade sua. Ela tem a bola muitíssimo pesada e consegue jogá-la bem fundo. Ela tem potencial para ir longe, pode ser a melhor do mundo, chegar ao número 1 e conquistar Grand Slam. É empolgante de ver”, pontuou.

Últimas notícias
Comentários