fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Nick Kyrgios, Grigor Dimitrov, Australian Open, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Nick Kyrgios, Grigor Dimitrov, Australian Open, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Andy Murray, Nick Kyrgios, Grigor Dimitrov, Australian Open, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/murray/0125_ausopen_grita_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/murray/0125_ausopen_grita_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Para Murray, Kyrgios acredita poder ser campeão
25/01/2015 às 15h38
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/murray/0125_ausopen_grita_int.jpg" title="Murray não reclamou de dores ou problemas físicos" />

Murray não reclamou de dores ou problemas físicos

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - O britânico Andy Murray levou a melhor em um equilibrado duelo com o búlgaro Grigor Dimitrov e logo em seguida terá outro desafio pela frente. Nas quartas de final do Australian Open, ele irá medir forças com o jovem local Nick Kyrgios, que pela segunda vez na carreira chega tão longe em um Grand Slam, repetindo o que fez em Wimbledon no ano passado.

Embalado pela torcida, Kyrgios conseguiu a virada neste domingo sobre o italiano Andreas Seppi, algoz do suíço Roger Federer, depois de perder os dois primeiros sets. Apesar de saber que terá que enfrentar o público contra, Murray não mostra temer. “Com certeza a atmosfera será diferente, com a torcida a seu lado, o que é completamente compreensível”, declarou.

“Já enfrentei franceses em Roland Garros, onde a torcida é bem difícil. Tenho essa experiência e já me saí bem”, acrescentou o escocês de Dunblane. “A torcida ao seu lado pode fazer a diferença quando se está cansado, te dá um fôlego extra. Ele está lidando muito bem com isso”, complementou Murray.

Para o britânico, além de contar com a torcida, Kyrgios também tem uma confiança bem grande e irá enfrenta-lo de igual para igual. “Ele parece ser mais confiante do que eu era quando tinha 19 anos. Sinto que ele acredita que pode vencer o Australian Open”, avaliou o número 6 do mundo.

Sobre o duelo com Dimitrov, ele destacou que a consistência acabou fazendo a diferença para si. “Ele começou muito bem na partida, veio muito agressivo e explosivo. Mas é duro manter o ritmo neste nível até o fim. Depois que entrei no jogo, senti que poderia ditar vários pontos. Acho que, taticamente, fiz uma boa partida. Fiquei desapontado com a maneira como joguei o 6/5 no segundo set, assim como o tiebreak, tomando decisões ruins”;

Murray destacou que o longo game em que sacou com 2/5 no placar e precisou salvar um set-point acabou mudando um pouco o rumo da parcial. Em seguida ele conseguiu quebrar o serviço de Dimitrov, continuou a recuperação e seguiu para a vitória. “Do 5/3 em diante, eu praticamente não cometi mais erros”, afirmou.

Depois de passar por problemas físicos nos últimos anos, o escocês garantiu estar perfeito. “Fisicamente, me sinto completamente diferente do que estava no US Open do ano passado e até mesmo aqui. Meu corpo me permitiu jogar dessa maneira durante todo o jogo. Não me senti cansado e minhas costas não doeram”, observou Murray.

Últimas notícias
Comentários