fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Tomas Berdych, Rafael Nadal, Bernard Tomic, Australian Open, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Tomas Berdych, Rafael Nadal, Bernard Tomic, Australian Open, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Tomas Berdych, Rafael Nadal, Bernard Tomic, Australian Open, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/berdych/0125_ausopen_saca_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/berdych/0125_ausopen_saca_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Estatística é esperança de Berdych contra Nadal
25/01/2015 às 10h40
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/berdych/0125_ausopen_saca_int.jpg" title="Berdych não consegue vencer Nadal desde 2006" />

Berdych não consegue vencer Nadal desde 2006

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - Depois de quatro vitórias sem ceder um único set no Australian Open 2015, o tcheco Tomas Berdych se prepara para um de seus maiores desafios: encarar o embalado Rafael Nadal, para quem perdeu 15 dos 18 duelos já disputados. O cabeça 7 no entanto acredita que poderá utilizar a matemática como uma nova arma contra o espanhol.

"Caminhei da melhor forma possível até agora e estou ansioso (para enfrentar Nadal). Terei de colocar alguma coisa a mais. Me sinto muito forte fisica e mentalmente." Ele acredita que o fato de estar com um novo treinador, Dani Vallverdu, possa mudar a forma de se preparar para a dura partida. "Ainda não passamos muito tempo juntos, mas tenho conseguido colocar em quadra tudo o que conservamos e preparamos. Ele é muito bom na interpretação de estatísticas e como usar isso para os jogos".

Berdych no entanto evitou falar em um plano tático para interromper a série de 18 derrotas consecutivas que tem contra Nadal. A última das três vitórias do tcheco aconteceu em 2006. "Ainda é muito cedo para pensar nessa partida. Neste momento, me sinto muito forte, estou jogando em alto nível". Os dois se cruzaram apenas uma vez no ano passado, no saibro de Madri, e Rafa marcou 6/4 e 6/2. O único duelo no Australian Open foi em 2012 e não foi fácil, com placar de 6/7, 7/6, 6/4 e 6/3, num jogo em que Berdych teve uma bola fácil para ganhar o segundo set. "O passado não importa, começaremos do zero", aposta.

Questionado sobre a força mental do canhoto espanhol, Berdych tentou mostrar naturalidade: "É a marca dos grandes tenistas, sem isso ele não estaria onde chegou. Rafa é certamente um dos maiores da nossa era no esporte e já provou várias vezes que pode dar a volta por cima após períodos difíceis. Ele sabe lidar com isso muito bem".

A vitória sobre a esperança local Bernard Tomic não foi fácil, na sua avaliação. "Depois do primeiro set, ele começou a jogar um bom tênis. Esperei a chance e levei o segundo set também. Foi apertado". A ruidosa torcida não o incomodou. "É sempre um desafio, mas já enfrentei esse tipo de situação muitas vezes. Foi apenas mais um jogo em que consegui manobrar sob circunstâncias nada fáceis. Por tudo isso, foi meu melhor jogo no torneio até agora. Estou evoluindo a cada rodada, você não precisa jogar tudo desde a primeira rodada de um Grand Slam".

Este é o oitavo ano consecutivo que Berdych atinge as quartas de final em Melbourne. "Gosto muito daqui, por isso tento chegar aqui bem preparado. O torneio permite que você se programe muito facilmente, o clima, tudo me ajuda".

Últimas notícias
Comentários