fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/estrangeiras_outras/madison Keys_ausopen_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/estrangeiras_outras/madison Keys_ausopen_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
'Minhas mãos ainda estão tremendo', diz Keys
24/01/2015 às 19h05
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/estrangeiras_outras/madison Keys_ausopen_int.jpg" title="" />
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) – A eliminação de Petra Kvitova, quarta favorita do Aberto da Austrália, foi a grande surpresa deste sábado. A autora da façanha foi a americana Madison Keys, de 19 anos, que tem como técnica a compatriota Lindsay Davenport, ex-número 1 do mundo. Atual nº 35 do mundo Keys, derrotou a bicampeã de Wimbledon por 6/4 e 7/5 e vai enfrentar a também americana Madison Brengle nas oitavas de final. 

"Minhas mãos ainda estão tremendo. Neste momento, não consigo processar isso, estou muito emocionada", disse Keys, rendendo homenagem à sua técnica a quem definiu como “estupenda”. Davenport, que tem três títulos de Grand Slam na carreira, ganhou o Aberto da Austrália em 2000.  

Como Davenport, Keys saca muito bem e tem golpes potentes do fundo da quadra. Kvitova, por sua vez, admitiu que vinha tendo dificuldades com seus nervos durante todo o torneio..Neste sábado, Kvitova permitiu a Keys ditar os pontos, tendo um fraco desempenho, incluindo seis duplas faltas e 32 erros não forçados.

“Acho que fui um pouco mais disciplinada desta vez, um pouco mais esperta, talvez jogando com uma margem maior. Acho que isso me ajudou”, disse a americana., que nunca havia passado da terceira rodada em um Grand Slam.

Keys está orgulhosa de ter conseguido lidar com o saque forte de Kvitova e seguir as instruções de Davenport no sentido de fazer a adversária jogar muitas bolas. “Temos trabalhado muito as devoluções. Esta era uma área que eu estava tentando melhorar. Eu entrei concentrada porque sabia que ela tem um ótimo saque, que isso é uma de suas grandes armas. Estava tentando acertar  cada devolução e fui capaz disso.”

No retrospecto das Madison, Keys ganhou o único duelo anterior, no qualificatório do US Open de 2012. É a primeira vez desde 2003 que os Estados Unidos têm quatro representantes nas oitavas em Melbourne.

Últimas notícias
01h58
Comentários