fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Grigor Dimitrov, Marcos Baghdatis, Andy Murray, Australian Open, Copa Davis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Grigor Dimitrov, Marcos Baghdatis, Andy Murray, Australian Open, Copa Davis" lang="pt-BR" xml:lang="pt-BR" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
Grigor Dimitrov, Marcos Baghdatis, Andy Murray, Australian Open, tênis" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/dimitrov/0123_ausopen_voleia_int.jpg" /> fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/dimitrov/0123_ausopen_voleia_int.jpg" />
Notícias | Dia a dia | Australian Open
Dimitrov revela desconforto e celebra superação
23/01/2015 às 10h46
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
2015/dimitrov/0123_ausopen_voleia_int.jpg" title="Dimitrov terá agora Murray pela frente no torneio" />

Dimitrov terá agora Murray pela frente no torneio

Foto: Divulgação
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d
fiogf49gjkf0d

Melbourne (Austrália) - Mesmo sem estar em um grande dia, o búlgaro Grigor Dimitrov conseguiu seguir em frente no Australian Open. Ele não teve uma sexta-feira muito inspirada em Melbourne e por isso sofreu contra o cipriota Marcos Baghdatis, triunfando de virada em um duro jogo definido apenas no quinto set.

“Foi um jogo duro para mim, não estava muito confortável em quadra, mas arrumei uma maneira de lutar e vencer. Marcos estava jogando um tênis dominantes no começo do jogo. Não consegui mudar o panorama do jogo tão rápido quanto queria”, observou o búlgaro, que destacou também o físico no triunfo sobre Baghdatis.

“Senti que estava bem fisicamente, que foi o melhor sinal para mim hoje. Essas partidas definem quem você é e aonde quer chegar. Me dá muito mais confiança”, afirmou Dimitrov, que já foi acusado de perder jogos por causa do físico debilitado. “Acho que está no passado, trabalhei muito e estou em outro estágio”, disse.

Dimitrov salientou que o tempo a experiência o fizeram um jogador melhor, que agora pode vencer jogos mesmo não estando no melhor dos seus dias. “Não é todo dia que você acorda 100% para jogar tênis. Em dias como esse o importante é manter a cabeça no lugar e jogar com o que tem”, declarou Dimitrov, que agora terá pela frente o britânico Andy Murray.

“Para mim, será um grande jogo. Tive uma dura derrota para ele em Paris. Sempre é um desafio mental e físico”, comentou Dimitrov. Superado no último duelo, no Masters 1000 da capital francesa, o búlgaro levou a melhor nos outros dois embates com Murray no ano passado, um deles pelas quartas de final em Wimbledon.

No geral, o britânico leva vantagem no retrospecto com quatro triunfos em seis jogos. “Conhecemos como joga o ouro e por isso não há segredos, sabemos bem o que vamos enfrentar”, comentou Dimitrov.

Ainda sobre o duelo com Baghdatis, o búlgaro falou sobre o empolgado público que agitou a quadra três, com torcida animada para os dois lado, principalmente para o cipriota. “Torcida sempre ajuda, mas Marcos é sempre o favorito do público aqui. Gosto de uma atmosfera como essa, me enche de sensações positivas”, finalizou.

Últimas notícias
Comentários